Santa Catarina terá um sistema de avaliação de professores que servirá de base para a premiação daqueles que obtiverem os melhores resultados. A informação foi trazida na última terça-feira (31), no programa Conversas Cruzadas da CBN Floripa, pelo secretário de Educação (SED-SC), Aristides Cimadon.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

— Atualmente, não há um sistema de avaliação das escolas. Nós pensamos em criar um sistema para ir além de aferir a qualidade e aprendizagem do estudante, queremos avaliar o professor, a gestão, desde o secretário e gestores até o chão da escola e, através disso, criar um sistema para premiar os melhores. Eu não consigo ver melhoria na qualidade da educação sem um sistema de avaliação, em todos os níveis do processo educacional — diz o secretário.

Cimadon cita os exemplos dos sistemas que existem nas universidades públicas e nos governos do Ceará, Espírito Santo e Mato Grosso, como referência. A intenção da SED é iniciar o novo modelo em 2024.

— Queremos iniciar essa discussão em Santa Catarina com os atores envolvidos — afirmou Cimadon.

Continua depois da publicidade

No primeiro encontro com os professores, o sindicato já se mostrou contrário à ideia. Faz bem a SED em defender o óbvio e que já existe com sucesso em outras unidades da federação, inclusive nas universidades federais. Não é necessário copiar o modelo, mas aprimorá-lo de acordo com a nossa realidade.

A deputada Luciane Carminatti (PT), ligada à categoria e em conversa com a coluna, diz que é preciso dar condições para o professor trabalhar para poder avaliá-lo. As condições mínimas de trabalho (segurança, equipamentos, higiene) nas unidades escolares são condição básica e de responsabilidade do Estado.

Entretanto, é de suma importância que se estabeleça o quanto antes um sistema de avaliação com as devidas métricas e ponderações de acordo com o ambiente de cada unidade escolar. Tem razão Cimadon em ter um plano de avaliação para melhorar a qualidade do estudo em nossas escolas.

O ser humano não gosta de ser avaliado. Ele prefere avaliar os outros. O modelo que ocorre já há muito tempo no setor privado, gostemos ou não, estabelece indicadores avaliados com critérios baseados na meritocracia e que melhoram a entrega do serviço prestado. E é isso que interessa à população.

Continua depois da publicidade

Leia mais:

BR-101 na Grande Florianópolis deve ter pista exclusiva para motos

Destaques do NSC Total