A Águas de Joinville está em busca de propostas para a redução dos custos com o lodo produzido no tratamento de água da estação do rio Cubatão, fonte de 75% do abastecimento da cidade. A companhia abriu um edital de chamada pública para a apresentação de soluções sobre o destino do resíduo. Foram reservados R$ 60 mil para o edital, com duas cotas de até R$ 30 mil. Na prática, a Águas abriu um “concurso” para sugestões sobre como gastar menos – e até buscar receita – com o lodo.

Continua depois da publicidade

> Sem gabinete de crise, prefeitura de Joinville monitora impactos dos bloqueios

> ​Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O lodo produzido na estação foi motivo de ação do Ministério Público Federal e do Ibama apresentada em 2002, contra a Casan (depois, a Águas de Joinville assumiu a estação). A alegação era de que os resíduos eram jogados ao rio sem tratamento. Com a ação, a Águas construiu no local uma estação para tratamento do lodo, em operação desde 2014.

A estação reduz a quantidade de água e o material restante (com 20% de sedimentos e o resto com água) é enviado ao aterro sanitário. São produzidas 40 toneladas por dia. No ano passado, conforme aponta a Águas de Joinville no edital, foram gastos R$ 742 mil somente no transporte para o aterro – há ainda as despesas com o tratamento.

Continua depois da publicidade

> Bloqueios em rodovias começam a afetar supermercados de Joinville

> ​Quilombolas relatam intimidação de bolsonaristas em Joinville: “Falaram que ateariam fogo”

> ​Adriano Silva critica bloqueios de rodovias em Joinville: “Prejuízos a todos”

Destaques do NSC Total