nsc
nsc

Trabalho

Detentos da Penitenciária Industrial produzirão fraldas para a rede de saúde de Joinville

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
08/09/2019 - 13h00
Em um primeiro momento, serão produzidas 5 mil unidades por mês, suficientes para atender à demanda do Hospital São José (Foto: Salmo Duarte/AN)
Em um primeiro momento, serão produzidas 5 mil unidades por mês, suficientes para atender à demanda do Hospital São José (Foto: Salmo Duarte/AN)

Em parceria inédita, detentos da Penitenciária Industrial de Joinville começam nesta segunda-feira (9) a produzir fraldas para a rede municipal. Pelo convênio da Secretaria de Saúde de Joinville com a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, o município cede a máquina e banca o pagamento da mão de obra e dos insumos.

Em um primeiro momento, serão produzidas 5 mil unidades por mês, suficientes para atender à demanda do Hospital São José. A produção vai crescer nos próximos meses.

A parceria visa economizar em 19% a despesa com as fraldas, hoje compradas junto a empresas privadas. Até agosto, conforme a Secretaria de Saúde de Joinville, foi gasto R$ 1,85 milhão.

Além das unidades utilizadas no Hospital São José, há 1.084 pacientes atendidos na rede municipal. A consumo médio mensal é de 181 fraldas por pessoa, nesse grupo.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Últimas do colunista

Loading interface...
Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas