nsc
    nsc

    MATRIZ DE RISCO PARA CORONAVÍRUS

    Joinville e região continuam em situação “grave”; o que precisa para as aulas voltarem em outubro

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    02/10/2020 - 07h48 - Atualizada em: 02/10/2020 - 08h05
    Aulas presenciais foram suspensas em março em Santa Catarina
    Aulas presenciais foram suspensas em março em Santa Catarina (Foto: Divulgação)

    Joinville e região permanecem em situação “grave” na matriz de risco do governo do Estado para a pandemia de coronavírus. A atualização da classificação, agora com novos critérios, foi divulgada nesta sexta-feira. Outras dez regionais de saúde estão no mesmo patamar de gravidade. Já as regiões da Foz do rio Itajaí, Médio Vale do Itajaí, Oeste, Serra Catarinense e Xanxerê estão em risco “alto”. Nenhuma regional apresenta a classificação “moderada”, a de menor gravidade na escala da matriz.

    > Joinville registra 338 mortes por coronavírus

    > Joinville compra mais 50 mil testes rápidos para coronavírus

    A matriz de risco está sendo usada como parâmetro para uma série de medidas envolvendo a pandemia. Neste momento, a volta às aulas tem a maior repercussão. Conforme portaria publicada na quinta-feira pelo governo do Estado, municípios em situação “grave” só podem ter atividades extracurriculares e de reforço pedagógico. As aulas presenciais são permitidas a partir do nível “alto”. Ou seja, neste momento, Joinville e região não têm condições para permitir a volta das aulas – a proibição se estende até o dia 12 de outubro, conforme decreto do governo do Estado. Mas há possibilidade de volta às aulas ainda em outubro.

    Agora, a Secretaria de Saúde de Joinville vai se debruçar sobre os critérios da nova matriz do governo do Estado e analisar quais pontos devem merecer mais atenção. O objetivo é evidente: reforçar as ações de enfrentamento e, com isso, melhorar os indicadores na classificação. A secretaria considera a nova matriz como mais próxima da realidade.

    Mas mesmo que a regional de Joinville e região tenham avanços e cheguem ao nível “alto” na próxima semana, classificação que permite a volta das aulas presenciais, ainda assim será preciso esperar pelo menos sete dias. Dessa forma, se houver a melhoria, o retorno à sala de aula ocorreria ainda em outubro. “A possibilidade de retomada das aulas em outubro é boa”, diz o secretário de Saúde, Jean Rodrigues da Silva, apontando os indicadores de Joinville como "bons". Só que neste momento, não há como garantir o retorno das aulas presenciais ainda neste mês.

    O governo do Estado também determinou a formação de comitês municipais para homologar os planos de gerenciamento para retomada das aulas nas escolas. Joinville já está adotando o protocolo da volta, com testagem dos professores e outros profissionais, preparação das escolas, entre outras medidas. O comitê de Joinville será formado na segunda-feira.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas