A prefeitura de Joinville considerou “frustrantes” os anúncios do governo do Estado feito na manhã desta segunda-feira. “A expectativa deixada pelo governador na passagem por Joinville na semana passada era outra, por isso ficamos desapontados e frustrados”, alegou o prefeito Udo Döhler. Para a administração municipal, a expectativa era de concessão de maior autonomia aos municípios já agora na tomada de decisões envolvendo as restrições por causa da pandemia de coronavírus.

Continua depois da publicidade

Na semana que vem, deverá ser retomado o transporte coletivo em Joinville, mas a prefeitura não chega a cravar data exata porque precisa aguardar pelas regras do decreto do governo do Estado, a ser publicado nesta segunda. A retomada está autorizada pelo governo estadual a partir da próxima segunda-feira, mas dependera da avaliação dos prefeitos e as condições da cidade em relação à pandemia.

A prefeitura de Joinville pretendia permitir o retorno do ônibus a partir desta quarta-feira. A expectativa era de permissão da liberação pelo Estado a partir desta segunda. “Não iríamos liberar hoje e sim na quarta, após campanha junto à população. Mas ficou para a semana que vem”, diz Udo.

A frustração da prefeitura foi referente à educação e reuniões presenciais, temas tratados na visita de Carlos Moisés a Joinville na última quarta-feira. “Nesta segunda, o governador passou ao largo desses temas, apenas citou novos prazos”, alega Udo. As aulas presenciais nas redes pública e privadas continuam suspensas até 2 de agosto (em julho, será discutida a retomadas nos cursos superiores). O pedido da prefeitura era de reabertura das creches.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total