nsc

publicidade

Saúde

Vista cansada: problema normal após os 40 anos de idade

Compartilhe

Por Viviane Bevilacqua
13/01/2019 - 17h06
Divulgação

Sempre agradeci por ter vistas boas e não precisar usar óculos. Foi assim até os 50 anos. Um belo dia, porém, peguei a bula de um remédio para ler e vi que as letras menores estavam bem embaralhadas. Foi o primeiro sinal. Depois, quis ler o rótulo de um produto no mercado e, novamente, minha tentativa foi frustrada. Tive que pedir ajuda a uma jovem que estava perto de mim. Marquei uma consulta com o oftalmologista. Não era nada mais grave. O diagnóstico foi “vista cansada”. Coisa da idade, ele me disse, sorrindo. Saí de lá com uma receita para mandar fazer óculos para leitura.

Praticamente todos meus amigos e conhecidos da mesma faixa etária estão com o mesmo problema. O que é conhecido popularmente por “vista cansada” na verdade chama-se presbiopia, e é muito comum depois dos 40 anos de idade. Segundo a oftalmologista Tatiana Nahas, Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo, este costuma ser o primeiro sinal do processo de envelhecimento natural do corpo.

O principal sinal de que a presbiopia se instalou é a visão desfocada. “As pessoas costumam usar estratégias para compensar a dificuldade de enxergar de perto, como por exemplo, afastar o livro ou o celular para conseguir maior nitidez. Outras podem recorrer aos óculos prontos, vendidos em farmácias, ou ainda a lupas para conseguir ler ou ver objetos de perto”, cita a oftalmologista. Entretanto, o esforço visual para conseguir focar as imagens pode levar a outros sintomas, como dor de cabeça, ardência ocular, lacrimejamento e cansaço visual. Lembrando que os sintomas pioram no final do dia e em ambientes com pouca luz.

O ideal, portanto, é procurar um oftalmologista para avaliar e prescrever as lentes corretivas de acordo com o grau encontrado. Os óculos prontos, diz ela, podem ser algo paliativo, até que a pessoa passe pela avaliação do médico. As lentes devem ser personalizadas e prescritas pelo oftalmologista. Em muitos casos, podem surgir outros problemas oculares. Por isso, a consulta com o especialista é imprescindível.

Ler outras colunas de Viviane Bevilacqua

Deixe seu comentário:

Viviane Bevilacqua

Pessoas, lugares e atitudes que fazem refletir a partir de textos que inspiram e convidam a observar com mais atenção detalhes do cotidiano. Este espaço deixou de ser atualizada. Conheça todos os colunistas do NSC Total em: https://www.nsctotal.com.br/

viviane.bevilacqua@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade