nsc
    dc

    Política

    100 dias de governo Moisés: foco na segurança pública

    Após recordes negativos nos últimos anos, os quatro primeiros meses de 2019 apresentaram os menores índices de mortes desde 2016

    10/04/2019 - 04h35 - Atualizada em: 10/04/2019 - 09h58

    Compartilhe

    Por Roelton Maciel

    - Tratar a segurança como prioridade no próximo mandato.

    - Desenvolver políticas multidisciplinares para alcançar resultados a longo prazo.

    - Implementar ações imediatas de combate à criminalidade

    A redução do número de homicídios faz da Segurança Pública uma das principais referências da nova gestão do governo do Estado. Recordes negativos mancharam as estatísticas nos últimos anos, mas os quatro primeiros meses de 2019 apresentaram os menores índices de mortes desde 2016.

    Também houve redução nos crimes de furtos e roubos em relação aos três últimos anos. A mudança de cenário coincide com a reorganização da gestão da Segurança Pública em SC, que passou a contar com um Colegiado Superior de Segurança no governo Moisés.

    Na prática, a formação do colegiado estabeleceu uma hierarquia equivalente para as lideranças de Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Instituto Geral de Perícias. Nessa nova gestão, o governo do Estado ainda confirmou o lançamento de concurso para o ingresso de 1 mil novos policiais militares e a unificação dos sistemas de registro e monitoramento de ocorrências das polícias Civil e Militar.

    Embora a administração do sistema prisional seja tratada em uma secretaria independente da segurança pública, a atuação de facções criminosas e a superlotação das cadeias continua como uma preocupação permanente. O déficit no sistema prisional está calculado em mais de 4 mil vagas.

    Balanço dos especialistas e entidades de SC

    Vemos positivamente

    "Nossa Polícia Militar, sem dúvida, é a melhor polícia do Brasil. Tanto na parte técnica como operacional. Essa integração das polícias Civil e Militar foi bastante positiva. A Operação Mãos Dadas tem sido um exemplo de como as forças policiais podem fazer a mudança da realidade de determinadas áreas, principalmente as mais carentes.

    O coronel Araújo Gomes e todo o comando da Polícia Militar mostram uma competência técnica e abnegação para o serviço ímpar. Isto é indiscutível.

    Como Conseg, nós vemos de forma bastante positiva o trabalho que tem sido feito. Nossa expectativa é de que tenhamos cada vez mais efetivo, o que é fundamental, mas também equipamentos. Viaturas, investimento em informação e tecnologia.

    Hoje nós temos praticamente todas as viaturas com tablets. Toda a parte de sistema de ocorrência e monitoramento das equipes é feita pelos comandos. Ver a polícia na rua é uma forma de policiamento correto, mas o trabalho de inteligência é melhor ainda do que isso, ele supera a visão do policial na rua.

    Um dos pontos que tem de ser atacados fortemente é a questão das facções nos presídios, para que não tenhamos esses grupos comandando o crime de dentro das unidades. Investimento em tecnologia, monitoramento, é importante. Quanto mais se investir em tecnologia e qualificação das tropas, vamos ter um Estado com cada vez melhores índices.

    Rodrigo Marques, vice-presidente do Conseg Centro | Florianópolis

    Fala-se a mesma língua

    "Enxergamos de forma positiva o início do governo nesse aspecto. Foi muito importante criarem o Conselho Superior, onde todo mundo fala a mesma linguagem, age da mesma forma. É muito importante porque estão afinados.

    Vejo como muito importante também a atuação de investigação. Segurança em Santa Catarina é primordial. Tivemos conversas com o próprio governador, conversamos pessoalmente também com o secretário de Segurança, coronel Araújo Gomes.

    Tanto a Polícia Militar quanto o Conselho Superior estão sempre abertos a ouvir todas as entidades organizadas.

    As portas estão abertas para que nós possamos reivindicar todo e qualquer aspecto em relação à segurança.

    Vemos também que a queda na criminalidade é substancial pelo fato de polícia estar na rua, ciente do que está acontecendo. Grandes assaltos aconteceram no final do ano passado. Sentimos nas nossas reuniões, quando nos reunimos com os lojistas, que o governo está dando uma resposta positiva para que não aconteça nenhum delito grave.

    O Estado de Santa Catarina tem uma segurança primordial e primaz no Brasil."

    Ernesto Caponi, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) Florianópolis

    Avaliação do próprio governo Moisés

    O governo ressalta como principal avanço a criação do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, previsto na reforma administrativa, mas já em prática. A ideia com o colegiado é ter olhar crítico e com soluções práticas para a segurança, por meio de agentes da própria força de segurança.

    A primeira ação da SSP foi a união dos bancos de dados, com a Integra, plataforma de integração de boletins de ocorrência registrados pelas polícias Militar e Civil, o que permite que as corporações possam atuar de forma conjunta. Antes, o retrabalho era grande, com dois registros, bancos de dados diferentes e atuações em operações desconexas.

    O próximo passo da plataforma Integra é ter ainda os registros de atendimentos do Corpo de Bombeiros e do Instituto Geral de Perícias, além de dados do sistema prisional.

    Conforme o governo do Estado, o colegiado se reúne semanalmente em busca de soluções imediatas, de acordo com o que apresentam os dados, divulgados também semanalmente.

    Confira o desempenho de outras áreas da gestão:

    Gestão da dívida pública

    Eficiência na gestão e visão de estadista

    Valorização da educação

    Investimento em tecnologia e inteligência

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas