nsc
dc

Crime ambiental

13 cachorros são encontrados mortos por estrangulamento em Tubarão

Mulher do suspeito teria dito à polícia que ele mantinha 64 aves presas em casa para usar em rinhas de galo

27/10/2020 - 11h26 - Atualizada em: 27/10/2020 - 18h09

Compartilhe

Carolina
Por Carolina Fernandes
Pelo menos 64 aves eram utilizadas em rinhas de galos
Pelo menos 64 aves eram utilizadas em rinhas de galos
(Foto: )

Um homem, de 39 anos, é procurado pela polícia suspeito de ter matato por estrangulamento 13 cães em um terreno público em Tubarão. A Polícia Militar (PM) foi acionada na segunda-feira (26) por uma protetora de animais que encontrou os cachorros mortos quando ia alimentá-los, na manhã do mesmo dia. Segundo a PM, a mulher disse que desconfia que o próprio marido teria sido o responsável pelo crime.

> Número de animais silvestres apreendidos em 2020 já ultrapassa total de 2019 em Joinville

> Cão da PM doa sangue para salvar outro cachorro internado em Chapecó

Para os policias, a mulher contou ainda que o companheiro aprisionava cerca de 80 aves na residência do casal e que utilizava pelo menos 64 deles em rinhas de galo. Em razão do grande número de aves no local, foram acionadas a Polícia Militar Ambiental de Laguna e a Delegacia de Delitos de Trânsito e Divisão de Crimes Ambientais (DTCA), que constataram o maus-tratos das aves. A Cidasc também atuou na operação e agora vai avaliar a situação fitosanitária dos animais. 

13 cães foram encontrados mortos em um terreno público de Tubarão
13 cães foram encontrados mortos em um terreno público de Tubarão
(Foto: )
Aves estavem em péssimas condições
Policia Militar Ambiental atestou maus tratos
(Foto: )

Aves foram encontradas na residência do suspeito
Homem é suspeito de realizar rinha de galo com os animais
(Foto: )

Já os cães mortos foram recolhidos pela Unidade de Vigilância de Zoonoses de Tubarão. Um inquérito policial foi instaurado para apuração das infrações penais referentes aos maus-tratos dos animais e a saúde pública. 

A mulher do suspeito está sendo acompanhanda pela Delegacia de Polícia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami) de Tubarão. O homem, suspeito pelos crimes, ainda não foi localizado.

> O melhor amigo do homem também já foi cobertor de lã

> Família reencontra cachorro desaparecido há um ano em SC; veja vídeo

Colunistas