nsc
    dc

    ANO NOVO

    Por que 2021 será o ano da esperança para catarinenses e brasileiros

    Recomendação é pegar nossa caixinha de experiências do ano que se encerra e recomeçar no novo ano, com o acalento dos abraços deixados de lado e a chegada da vacina da Covid-19

    26/12/2020 - 06h53

    Compartilhe

    Por Ligia Gastaldi
    Paula brinca com a pequena Maria Luiza, que nasceu em meio à pandemia, em uma das praias de Florianópolis. A chegada de 2021 é a expectativa de que dias melhoras virão
    Paula brinca com a pequena Maria Luiza, que nasceu em meio à pandemia, em uma das praias de Florianópolis. A chegada de 2021 é a expectativa de que dias melhoras virão
    (Foto: )

    2020 chega ao fim com gostinho de lição de casa. Ninguém imaginou, um dia, viver uma pandemia que parece ter sido tirada das telas de ficção: cidades paradas, ruas vazias, encontros e planos cancelados, abraços adiados. De repente, trabalhar em casa, aderir a ferramentas digitais para reuniões e comemorações foi obrigatório. Primeiro o impacto, depois a aceitação e, por fim, o aprendizado. Não foi fácil, mas com certeza, nos fortaleceu. Fez com que a gente visse as coisas de outro jeito.

    > Em site especial, veja mais informações sobre o coronavírus

    A empreendedora cultural Paula Borges Lins e o marido Moacir fizeram planos quando souberam que a pequena Maria Luiza, a Malu, estava a caminho. Nada ocorreu como imaginavam. Não houve chá de bebê presencial, não houve visitas e amigos não conhecem pessoalmente a filha do casal. Mas essa é a história da Malu. Um enredo forte e já capaz de ensinar tanto a essa mamãe de primeira viagem quanto aos que compartilham desta experiência peculiar: 

    – Olhando pra tudo o que vivemos, entendi que “amor não se isola”, como sabiamente disse a jornalista Maria Beltrão em seu novo livro, e me reconheci uma pessoa otimista. Aprendemos todos a sorrir com os olhos. Sei que foi um ano difícil, muito mesmo, mas foi inesquecível também. Olho pra minha filha e pra tudo o que estamos vivendo e renovo minha esperança no futuro, tenho certeza de que dias melhoras virão – conta Paula.

    > Saiba como receber as notícias sobre o coronavírus por e-mail

    Ela também precisou de resiliência para a vida profissional. Teve que mudar todo o planejamento da empresa do dia pra noite. Todos os projetos e eventos foram cancelados e ela perdeu todo o trabalho e planejamento do ano. Parte da equipe se desfez, não houve condições financeiras de mantê-la.

    > Da insegurança às novas ideias: como os catarinenses estão se reinventando na pandemia

    – E haja criatividade e resiliência: buscamos nos reinventar, nos adaptar, transformamos o que era presencial em formato digital. Claro que não é a mesma coisa, falta o calor e o carinho do público, mas foi a única forma de estarmos presentes, ainda que distantes. Adaptamos e conseguimos realizar os eventos mais importantes como a Maratona Cultural, o Museus Virtuais e a Orquestra de Baterias, com segurança e distanciamento social – explica Paula.

    ano-novo-esperanca-2021-2
    Família curte momentos de diversão à beira-mar
    (Foto: )

    Essas mudanças de planos e readequações exigiram muito, mas também oferecem crescimento e amadurecimento. A terapeuta e psicanalista Camila Custodio diz que toda crise é uma oportunidade de olhar para dentro e melhorar quem você é. 

    – Com a pandemia tivemos que revisitar nossas vidas, ressignificá-las e podemos olhar para aspectos que até então estavam esquecidos ou até mesmo para alguns achávamos que não tinham valor – explica Camila. 

    As lições foram de empatia, solidariedade, fé e espiritualidade. Para a especialista, o caos lá fora fez com que muitas pessoas buscassem mergulhar em processos de autoconhecimento e isso, sem sombra de dúvidas é um ganho para todos. 

    – Houve também um aprendizado significativo sobre a forma de nos relacionarmos e de como essa conexão é importante para nosso crescimento enquanto sociedade – analisa a terapeuta. 

    Aprendemos todos a sorrir com os olhos. Sei que foi um ano difícil, muito mesmo, mas foi inesquecível também. Olho pra minha filha e pra tudo o que estamos vivendo e renovo minha esperança no futuro, tenho certeza de que dias melhoras virão Paula Borges Lins, empreendedora cultural

    Um ano novo com muita expectativa

    Os astros não mentem, não é mesmo? A astróloga Luna Holística garante que 2020 veio para nos mostrar que a forma na qual organizamos nossa hierarquia de trabalho e social até aqui não estava mais funcionando. 

    – Agora precisaremos da criatividade inovadora (e por vezes desconfortável e caótica) de Aquário para um mundo mais sustentável e de valores que permitam a recuperação da Terra (Touro) – analisa Luna. 

    Agora que passamos por tudo isso, vem a possibilidade de um novo ano. A recomendação é pegar nossa caixinha de experiências do poderoso 2020 e recomeçar. Todo fim de ano é tomado por uma histeria coletiva de positividade. Jogamos para o universo nossos pedidos e desejos mais secretos. Diante da força do coletivo, não há dúvidas de que isso se transforma em energia, o que fortalece o pensamento positivo e dá força para a realização dos objetivos.

    ano-novo-esperanca-2021-3
    Paula e pequena Maria Luiza
    (Foto: )

    O acalento dos abraços deixados de lado, mediante a aplicação da vacina da Covid-19, está próximo, mas vêm também os desafios. Luna diz que 2021 exigirá consciência sobre os nervos, que estarão à flor da pele. E nem adianta querer se garantir com nervos de aço, pois esses são os primeiros a romper quando Urano e Saturno “brigar” nos céus. 

    – Ao invés de rigidez e força bruta, a solução aqui é aprender a ceder. Abrir espaço, apaziguar. Respirar fundo – sugere Luna.

    > Dicas de como montar uma mesa posta para as festas de fim de ano

    Foram fases e mudanças abruptas esse ano, muitas dores, perdas, frustrações e até mesmo medo, mas é válido que a gente lembre dos nossos sonhos, objetivos e propósito de vida. Honrar a vida pelos que se foram e perseverar pelos que seguem por aqui.  

    – É uma forma de lembrar que logo ali na frente coisas boas e melhores nos esperam e precisamos estar sempre preparados para reencontrar a felicidade – projeta a terapeuta e psicanalista Camila Custodio. 

    Alguém duvida? 

    Encontrar a felicidade é uma coisa que se faz no privado, não no coletivo. E veja bem: felicidade não é estar sorrindo o tempo todo, é estar bem com a vida que você leva. É saber que os momentos de tristeza, de se fechar naquela conchinha, são necessários. Eles nos fortalecem para o que vem pela frente. Que 2021 seja um mar repleto de esperança, depois da tempestade e as atribulações de 2020.

    Agora precisaremos da criatividade inovadora (e por vezes desconfortável e caótica) de Aquário para um mundo mais sustentável e de valores Luna Holística, astróloga

    > Acompanhe o mapa de evolução da Covid-19 em SC

    Colunistas