O joelho é formado do encontro entre o fêmur, tíbia e patela. É considerado a articulação do corpo humano imprescindível para a realização de movimentos simples, como levantar, caminhar e agachar. É por conta disso que as lesões no joelho, como torções, traumas e, até mesmo, o desgaste natural podem comprometer a viabilidade das suas estruturas.

Continua depois da publicidade

> Clique aqui e receba notícias no WhatsApp

“Essas lesões podem ser causadas por movimentos inadequados, quedas, pancadas, doenças autoimunes ou obesidade. É muito importante consultar um especialista assim que sentir algum sintoma, porque uma dor ignorada pode se transformar em algo maior e incapacitante”, comenta Raquel Silvério, fisioterapeuta e Diretora Clínica do Instituto Trata, de Guarulhos. Abaixo a fisioterapeuta lista algumas das lesões mais comuns, confira:

1. Rompimento do LCA (ligamento cruzado anterior)

Quando o LCA é rompido, existe uma grande chance de que uma cirurgia seja necessária, dependendo do rompimento e do nível de atividade da pessoa. Essa lesão pode ser causada por uma mudança rápida de direção, parada repentina de um movimento ou alguma pancada. Referente ao tratamento, o mais indicado é um programa fisioterapêutico para ajudar na retomada de força e movimento, tanto no tratamento conservador quanto no tratamento pós-cirúrgico.

2. Rompimento do LCP (ligamento cruzado posterior)

Esse tipo de trauma está mais associado a fatores maiores, como acidentes de trânsito, mas também pode acontecer durante práticas esportivas de maior contato. Em fases mais avançadas, essa lesão pode causar dor e derrame no joelho. O tratamento dessa lesão pode ser cirúrgico ou conservador, podendo ser realizado por fisioterapia e fortalecimento muscular.

Continua depois da publicidade

Homem deitado e recebendo fisioterapia no joelho de um profissional
Fisioterapia auxilia no tratamento de luxação patelar (Foto: Shutterstock)

3. Luxação patelar

A patela é o osso que está localizado na frente do joelho e a lesão pode ocorrer diretamente, por uma pancada, ou indiretamente por uma entorse no joelho e, até mesmo, por uma condição anatômica do paciente. O tratamento da luxação começa pela recolocação do osso no lugar e imobilização temporária juntamente com a fisioterapia.

4. Artrose

É completamente normal que as cartilagens dos joelhos tenham um desgaste com o passar do tempo, já que suportam um grande peso. Na maioria dos casos o paciente apresenta essa complicação no joelho, mas sem a presença de dores associadas. A artrose não tem cura, mas os tratamentos colaboram na redução da dor e manutenção do movimento. O tratamento vai desde medicação, terapias, até infiltrações e procedimentos cirúrgicos.

5. Tendinite patelar

É uma lesão do tendão patelar que, na maioria dos casos, está envolvida a atividades esportivas que precisam de saltos e desacelerações bruscas, como o atletismo e o futebol. Normalmente, a lesão afeta o mecanismo extensor do joelho comprometendo, além do tendão, a parte muscular.

Raquel Silvério

Fisioterapeuta (Crefito: 116746-F) e Diretora Clínica do Instituto Trata, Unidade de Guarulhos. Possui especialização em fisioterapia músculo esquelética pela Santa Casa de São Paulo, além de formação em terapia manual ortopédica nos conceitos Maitland, Mulligan e Mckenzie e forte experiência em tratamentos da coluna vertebral.

Continua depois da publicidade

*Por Luana Farias

Leia também

5 dicas para perder o medo de doar sangue

Entenda como a meditação pode te ajudar a alcançar seus objetivos

Veja como manter a pele saudável e prevenir o envelhecimento precoce

Destaques do NSC Total