nsc

Será que rola?

"Acredito que em setembro a gente possa ter a volta do público", diz presidente do JEC

Charles Fischer participou do programa CBN Mais nesta terça-feira (17) e disse acreditar que retorno do público está próximo

17/08/2021 - 12h48

Compartilhe

Jota
Por Jota Deschamps
Presidente do JEC espera volta da torcida já no mês de setembro.
Presidente do JEC espera volta da torcida já no mês de setembro.
(Foto: )

A torcida do JEC pode estar muito próxima de matar a saudade de acompanhar um jogo do time das cadeiras da Arena Joinville. Apesar de nem a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e nem a Federação Catarinende de Futebol (FCF) apontarem uma data, o presidente do clube, Charles Fischer, acredita que este momento esteja chegando. Em entrevista à CBN Joinville nesta terça-feira (17), o dirigente afirmou que é favorável ao retorno do público aos estádios, desde que sejam seguidos todos os procolos necessários. Além disso, disse acreditar que, com o avanço da vacinação e as regras bem definidas, a torcida tricolor poderá voltar a frequentar o estádio nas próximas semanas. 

— Acredito que em setembro a gente possa ter a volta do público — declarou. 

Segundo o presidente, a liberação neste momento de 30% da capacidade da Arena Joinville "seria bem interessante". Esse valor corresponde a algo em torno de quatro mil lugares (vale lembrar que o setor das cadeiras cobertas está interditado). O JEC pretende priorizar a entrada dos sócios quando essa liberação for validada. De acordo com o presidente, uma logística especial está sendo preparada para o associado confirmar presença na partida via aplicativo. Essa confirmação seria feita até três dias antes do jogo e, terminado o prazo, a carga de lugares disponíveis seria colocada à venda.

A CBF publicou uma série de regras e protocolos a serem seguidos para viabilizar essa retomada do público nos estádios. Entre as regras, estão a vacinação contra a Covid-19 e a testagem dos torcedores. Porém, o documento cita que as normas seriam aplicadas para a Copa do Brasil e para as Séries A, B e C do Campeonato Brasileiro. O Joinville disputa a Série D, não contemplada neste momento pela entidade máxima do futebol nacional. De acordo com o presidente do JEC, ele acredita que isso se deve ao fato de a competição ter muitos clubes (são 68 na disputa), o que dificulta a aplicação de todos os protocolos.

- A CBF está aguardando terminar a primeira fase [...]. Com menos clubes fica mais viável - pontuou. 

Apesar disso, Fischer destaca que paralelo ao trabalho da CBF, a FCF trabalha para criar protocolos próprios para suas competições. Com isso, o dirigante tricolor espera que a Copa Santa Catarina, que inicia em setembro, já tenha condições de ter a presença do público.

PERDAS MILIONÁRIAS

Charles Fischer também falou sobre o quanto o JEC deixou de arrecadar com os portões fechados durante a pandemia. Nas contas do presidente, somente em 2020 foram R$ 1,8 milhão que não entraram na conta tricolor. E neste ano, com a boa campanha do time na temporada, o presidente fala em R$ 1,5 milhão que poderia ter sido arrecadado.

- É o pior momento da história do JEC, principalmente na parte financeira [...]. Se não são os sócios e os patrocinadores, o JEC com toda certeza tinha fechado as portas - disse. 

COBERTURA DA ARENA

O setor das cadeiras cobertas da Arena Joinville segue interditado. A administração do estádio municipal é responsabilidade da prefeitura e, segundo o presidente tricolor, as conversas com o executivo tem sido constantes para viabilizar as melhorias no menor tempo hábil. Fischer destacou que o prefeito Adriano Silva (Novo) tem contribuído sempre que possível em todas as demandas do clube, mas disse não acreditar que

— Não é culpa da atual gestão, infelizmente ninguém tomou atitude. Acho muito difícil que [o reparo da cobertura] seja ainda em 2021 — comentou. 

JEC CLUBE-EMPRESA

Os estudos de viabilidade da Sociedade Anônima do Futebol (SAF), que torna os clubes de futebol clubes-empresa, começaram internamente no JEC e vão se estender até o fim do ano. Uma comissão foi formada para se debruçar sobre o texto da lei e verificar as possibildiades para o clube. O presidente destacou que a situação finaneira do Coelho é "muito delicada" e que o incremento dado por uma SAF pode contribuir para o respiro nas contas do clube pelos próximos anos.

— Tenho certeza que essa comissão tem um trabalho que é muito importante para o futuro — pontuou.

Abaixo você pode ouvir - na íntegra - a entrevista com o presidente do JEC, Charles Fischer. A conversa foi realizada no programa CBN Mais, com Jota Deschamps e Fernando Gonçalves.

Colunistas