nsc
santa

publicidade

Fim do drama

Advogado suspeito de matar a namorada em Balneário Camboriú se entrega à polícia

Ele ficou mais de 24 horas na sacada do apartamento em que mora ameaçando se jogar

03/04/2019 - 18h32 - Atualizada em: 04/04/2019 - 19h24

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
Suspeito entrou em um aparente surto psicótico, depois que a morte de Lucimara foi descoberta
Suspeito entrou em aparente surto psicótico, depois que a morte de Lucimara foi descoberta
(Foto: )

O advogado Paulo de Carvalho Souza, 42 anos, se entregou à polícia nesta quarta-feira (3), por volta das 18h30min, após ficar mais de 24 horas ameaçando se jogar do prédio em que morava em Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina. Ele é suspeito de ter matado a namorada, a também advogada Lucimara Stasiak, 30.

Depois que o crime foi descoberto, Souza se trancou na sacada do imóvel, e a polícia passou a negociar a rendição. O corpo de Lucimara estava dentro do apartamento. Desde as 18h de terça-feira (2), uma equipe especializada conversava com o advogado, que aparentava estar em um surto psicótico.

A polícia suspeita que a morte de Lucimara tenha acontecido na quinta-feira (28). Vizinhos começaram a desconfiar que algo tinha ocorrido depois de perceberem o advogado entrando no prédio com vários sacos de gelo.

Além da atitude estranha, a vizinhança decidiu chamar a Polícia Militar (PM) por causa de um cheiro forte que saía do aparamento do casal.

Durante a tarde desta quarta-feira (3), negociadores da PM, acompanhados de equipes da Polícia Civil, chegaram a entrar no apartamento para se aproximar de Souza e tentar a rendição dele. Souza até ganhou uma garrafa de água.

O delegado Ícaro Freitas, responsável pelas investigações, disse mais cedo, antes de o advogado se entregar à polícia, que Souza deve ser preso em flagrante por ocultação de cadáver. O caso é tratado como feminicídio.

— É crime de situação de gênero, hipossuficiência econômica ou física. Pelo que levantei até o momento, o caso configura sim violência doméstica. Nesse caso, ele deverá responder por feminicídio e ocultação de cadáver — explica.

Nesta quinta, às 11h, o delegado Ícaro Malveira, responsável pelo inquérito policial, deve conversar com a imprensa sobre o caso.

A família da advogada Lucimara Stasiak pretende levar o corpo a Blumenau para que seja cremado. Ela viveu na cidade a maior parte da vida, com as tias e a avó paterna.

Advogada Lucimara Stasiak
Advogada Lucimara Stasiak
(Foto: )

Deixe seu comentário:

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade