nsc
santa

publicidade

Agricultura

Agricultores do Alto Vale somam prejuízos após chuvas de granizo da última semana

Maior impacto ocorreu em plantações de fumo em Petrolândia e de cebola em Aurora

30/10/2019 - 10h40 - Atualizada em: 30/10/2019 - 10h42

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Local de armazenagem com telhado destruído pelo granizo em Aurora.
Local de armazenagem com telhado destruído pelo granizo em Aurora.
(Foto: )

Ao menos 1.350 agricultores tiveram perdas em plantações de fumo no Alto Vale do Itajaí por conta dos dois dias de chuva de granizo registrados na última semana. O levantamento foi feito pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e diz respeito às regiões de Rio do Sul e Ituporanga, maiores produtoras do Estado.

O maior impacto nas plantações de fumo foi em Petrolândia, conforme Geison José Schmoeller, coordenador de campo da Afubra. Outras áreas em Ituporanga e Aurora também foram atingidas, porém com perdas não tão significativas. Conforme Schmoeller, todos os 1.350 produtores já acionaram o seguro para receber uma indenização pelas perdas. O valor, porém, não necessariamente corresponde ao faturamento caso as folhas fossem vendidas às empresas.

Outro problema segundo a Afubra foi o fato de o fenômeno registrado na quinta e sexta-feira da última semana (24 e 25) ter ocorrido justamente no período em que começaria a colheita do fumo.

– É um período em que o produtor não tem muito o que fazer em caso de perdas, e o problema é que esse granizo veio justamente no início da colheita, que é agora no fim de outubro e início de novembro – explica Schmoeller.

Em Aurora o principal problema foi em plantações de cebola. O presidente da Associação dos Produtores de Cebola de Santa Catarina (Aprocesc), Jelson Gesser, afirma que 100 hectares no município tiveram perda total. Até esta quarta-feira (30), produtores com lavouras em 220 hectares do município já haviam acionado o seguro, e a estimativa é de que 30% da plantação foi atingida na região.

Essas perdas no Alto Vale devem interferir diretamente no preço da cebola em Santa Catarina. Isso porque até o fim do ano os supermercados são abastecidos principalmente por produções que vêm de São Paulo, Goiás, triângulo mineiro, e de alguns pontos do Nordeste. Entre janeiro e abril, porém, as gôndolas recebem o produto produzido principalmente na região de Ituporanga, o que impacta no valor ao consumidor final.

– É aquela situação típica de oferta versus demanda. A oferta vai ser menor e o preço vai subir. Mesmo que eles tenham subsídio de seguro, a quantidade do produto à disposição do consumidor vai ser menor. Então vão ocorrer aumentos sim, algo inevitável para produtos de lavoura que são expostos às condições do tempo, ao frio, ao calor, e ao granizo como ocorreu semana passada – afirma Jamis Piazza, economista e pró-reitor de Administração da Furb.

Plantação de cebola atingida em Aurora.
Plantação de cebola atingida em Aurora.
(Foto: )

Relembre

No fim da última semana, área da Região Leste de Santa Catarina foram atingidas por chuvas de granizo. No Alto Vale o fenômeno ocorreu dois dias seguidos e atingiu principalmente plantações de fumo, cebola e milho. Em Itaiópolis, no Planato Norte, pedras de gelo chegaram a cobrir totalmente o chão. Já em Blumenau, o granizo foi registrado no Centro, Velha, e no limite com Gaspar na região dos bairros Vorstadt e Bela Vista.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Economia

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade