Medo, ansiedade, preocupação. Qualquer mulher que já investigou ou teve um diagnóstico de câncer de mama possivelmente já vivenciou esse mix de sentimentos. Lidar com esse tipo de situação é muito difícil, já que além dos riscos de vida e do tratamento delicado, a doença é bastante invasiva e pode afetar a autoestima das pacientes.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Atualmente, o câncer de mama ainda representa um grande risco para a população feminina. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), esse diagnóstico é a principal causa de morte por câncer na população feminina em quase todas as regiões do Brasil — exceto no Norte, em que o câncer do colo de útero representa os maiores índices.

No entanto, embora altos, os índices de mortalidade podem ser reduzidos e até eliminados através do diagnóstico, tratamento precoce e prevenção. E neste contexto, a alimentação pode ser uma grande aliada na adoção de hábitos saudáveis que previnem alguns tipos da doença.

De acordo com o INCA, a má alimentação é o fator responsável por cerca de 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento. Também representa cerca de 35% das mortes pela condição.

O papel da alimentação preventiva

Um diagnóstico de câncer de mama depende de vários fatores: genéticos, metabólicos e de estilo de vida. No entanto, embora seja difícil definir de forma concreta quais são as causas, fatores que diminuem o risco da doença podem fazer parte da rotina das mulheres como uma medida preventiva. Pesquisas divulgadas em agosto deste ano na revista científica BMJ apontam que o consumo exagerado de alimentos ultraprocessados podem aumentar as chances de um diagnóstico de câncer em até 29%.

A nutricionista funcional e oncológica, Claudia Patounas, que atua na Clínica Soma, reforça o resultado da pesquisa. Segunda ela, uma alimentação saudável, que se aproxime ao máximo possível do natural, pode ser uma grande aliada na prevenção do câncer de mama.

— A alimentação é um fator bem importante quando se pensa na prevenção do diagnóstico. Recomendo que o cardápio seja sempre rico em em crucíferas (repolho, couve, brócolis, couve flor) e pobre em gorduras saturadas. Quanto mais colorido é o seu prato, mais nutritivo ele será! — destaca a especialista.

Para as pacientes que estão em tratamento do câncer de mama, contar com uma dieta balanceada e saudável também pode contribuir com o tratamento — seja para fortalecer o organismo, contribuir para restabelecer a saúde, e repor as energias gastas durante as sessões de quimioterapia ou radioterapia.

Continua depois da publicidade

— Nesses casos, deve-se evitar a suplementação sem orientação nutricional, já que muitas substâncias podem diminuir o efeito do remédio. Por isso, destaco a importância de fazer acompanhamento nutricional desde o início do tratamento. Assim, é possível manejar os sintomas apresentados durante as quimioterapias e fortalecer o sistema imunológico — destaca Claudia.

Já o mastologista da Clínica Soma, Dr. Marcelo Prado, também destaca a importância de uma alimentação saudável para o combate da doença. Segundo ele, o objetivo deve ser manter o prato colorido, com vegetais, legumes ricos em fibra, frutas e produtos integrais.

— Pesquisas recentes indicam a necessidade de manter o foco nos padrões alimentares nutritivos para a prevenção de tumores malignos — especialmente, relacionados ao câncer de colo de útero ou mama. O consumo de vegetais sem amido ou ricos em carotenóides pode diminuir os riscos da doença. — aponta o médico.

Marcelo alerta que, para adotar uma dieta mais saudável, é fundamental diminuir o consumo de carnes altamente processadas e bebidas com muito açúcar (refrigerantes e sucos industrializados). Ele ainda ressalta os cuidados com o consumo de álcool, que não deve passar de uma bebida por dia entre as mulheres.

Continua depois da publicidade

Dicas para prevenir a perda de massa magra durante o tratamento de câncer

  • Conte com uma dieta personalizada, elaborada por um profissional da nutrição;
  • Controle o peso semanalmente para acompanhar alterações;
  • Proteínas e calorias devem fazer parte da dieta;
  • Manter o corpo ativo, através de exercícios físicos leves, é essencial;
  • Faça uso de suplementos com orientação médica e nutricional;
  • Conte sempre com acompanhamento especializado.

Acesse o site da Clínica Soma: www.clinicasoma.com.br.

Leia também

Confira dicas e regras para viajar de ônibus com crianças
O que você precisa saber em Outubro para seu negócio decolar
Floripa faz parte de movimento internacional e arrecada fundos para pesquisas sobre câncer