publicidade

Cotidiano
Navegue por

CT do Flamengo

Alojamento no Ninho do Urubu não tinha laudo, afirma comandante dos Bombeiros

Segundo Roberto Robadey, falta de documentação implicava na segurança 

08/02/2019 - 12h10 - Atualizada em: 08/02/2019 - 15h25

Compartilhe

Por GaúchaZH
(Foto: )

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro e secretário de Defesa Civil, Roberto Robadey, afirmou à BandNews que o alojamento – no Centro de Treinamento do Flamengo, o Ninho do Urubu, que pegou fogo nesta sexta-feira (8), não tinha laudo da corporação. Dez pessoas morreram e outros três adolescentes ficaram feridos - um deles teve 40% do corpo queimado.

— Não é exclusividade deste local. Mas as pessoas, às vezes, aprovam uma planta, aí quando vai ver resolve fazer puxadinho, aumentar. A gente lamenta que as pessoas não possam fazer um planejamento adequado. É um ato final. Existe todo um procedimento. O fato de não ter a documentação implica até que não havia segurança. Muitas vezes até existe os dispositivos de segurança, mas ainda não teve uma regularização. Adotamos várias medidas para simplificar esse processo para agilizar — declarou Robadey em entrevista à rádio BandNews.

O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 5h, e as chamas foram controladas às 7h20min.

Em entrevista à GloboNews, o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Douglas Henaut disse que no local ficavam atletas da categoria de base do Flamengo, e que as chamas iniciaram no alojamento em que eles dormiam. A corporação ainda não sabe onde as chamas tiveram início, mas confirma que elas ficaram restritas apenas ao alojamento.

Três feridos foram levados para o hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na zona oeste do Rio. Segundo o portal G1, os feridos foram identificados como Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, de Fortaleza (CE); Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos; Jonathan Cruz Ventura, 15 anos.

Ventura teve 40% do corpo queimado e é considerado o caso mais grave. Para o jornal O Globo, a Secretaria Municipal de Saúde classificou o estado de saúde dele como gravíssimo e informou que o jovem será transferido para o Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, ainda na Zona Oeste.

As causas do incêndio e sua extensão ainda não desconhecidas. No local, ficavam jogadores entre 14 e 17 anos. Segundo um jogador de base, ouvido pela TV Globo, cerca de 30 pessoas estavam no local no momento do incêndio.

O caso está sendo investigado pela 42ª Delegacia de Polícia, de Recreio dos Bandeirantes. Em nota, a corporação informou que o inquérito está em andamento e que testemunhas já estão sendo ouvidas. Os corpos das vítimas estão sendo encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML).

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação