Os dois servidores comissionados da Câmara Municipal de Florianópolis que foram alvos de busca e apreensão em operação da Polícia Civil nesta quinta-feira (18) são Samantha Santos Brose e Gustavo Evandro Silveira Albino, que já ocuparam outros cargos de comissão na cidade antes do caso. A investigação que envolve ambos, além de dois agora ex-secretários da gestão Topázio Neto (PSD), mira um suposto esquema de corrupção na coleta de resíduos sólidos na Capital catarinense.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Samantha era assessora parlamentar do vereador Marquinhos (PSC), até ser exonerada horas após a operação, e também esposa do agora ex-secretário municipal Ed Pereira (União Brasil), outro alvo de busca e apreensão. Ela já havia sido nomeada para assessorar outros parlamentares, incluindo o próprio marido, no começo de 2019, em ocasião em que ele ainda era vereador.

Já Gustavo ocupava, formalmente, até aqui o cargo de secretário de comissão permanente na Comissão de Viação, Obras Públicas e Urbanismo (CVOPU), ao qual foi nomeado pela Mesa Diretora da Casa. Na prática, ele auxiliava o vereador Jeferson Backer (PSDB), que preside a CVOPU e teria indicado Gustavo à função. Ele também foi exonerado a partir de edição do Diário Oficial do Município (DOM) desta quinta.

Antes de assumir o posto, Gustavo havia ocupado o cargo também comissionado de coordenador executivo da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram), no começo de 2023, e de diretor de eventos da secretaria de Turismo, em 2021, ambos vinculados à prefeitura. Na atual legislatura, ele já foi assessor do vereador João Cobalchini (União Brasil), que preside o Legislativo de Florianópolis.

Continua depois da publicidade

O NSC Total tentou contato com os vereadores Cobalchini e Jeferson, que não são alvos da operação, mas não obteve retorno. O segundo deles havia sido eleito como suplente e assumiu o cargo no começo de 2019, em substituição ao então vereador Ed Pereira, que assumiu de volta a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Juventude logo após a atual legislatura de Florianópolis ser empossada.

Secretários também são investigados

Além de Ed Pereira, que era até então cotado para ser vice do prefeito Topázio Neto nas eleições municipais de 2024, o agora ex-secretário de Meio Ambiente de Florianópolis, Fábio Braga (PSD), também foi alvo da operação, conforme mostrou a colunista do NSC Total Dagmara Spautz.

A ação que mirou os dois servidores da Câmara e os dois secretários integra a Operação Presságio e teve de cumprir, ao todo, 24 mandados de busca e apreensão. A iniciativa fez parte de uma investigação da Polícia Civil iniciada em janeiro de 2021 contra a possível prática de crime ambiental de poluição.

Ao longo da apuração, sob sigilo, surgiram elementos que indicam a suspeita da prática de crimes contra a administração pública, com possível envolvimento de agentes públicos municipais em conluio com particulares, tendo como foco uma licitação para coleta de resíduos sólidos.

Continua depois da publicidade

O NSC Total tentou contato com Samantha Santos Brose por e-mail, mas não obteve retorno.

Já a defesa de Gustavo Evandro Silveira Albino afirmou, em contato com a reportagem, que ele deverá ser ouvido pela Polícia Civil, com a qual está disposto a colaborar o máximo possível. Disse ainda que o agora ex-servidor comissionado não tem participação alguma no esquema pelo qual é investigado.

Leia mais

“Não vou passar a mão na cabeça”, diz prefeito de Florianópolis após operação envolvendo secretários

Câmara de Vereadores e secretarias de Florianópolis são alvos de operação da polícia

Suspeitos teriam criado esquema criminoso para contratar empresa de coleta de lixo em Florianópolis

Destaques do NSC Total