nsc
dc

Suspeita de contaminação

Anvisa proíbe venda de produtos importados da Kinder

Medida vale para chocolates fabricados pela empresa Ferrero na Bélgica

15/04/2022 - 10h51

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Suspeita é de que produtos tenham sido contaminados com a bactéria que gera a salmonela
Suspeita é de que produtos tenham sido contaminados com a bactéria que gera a salmonela
(Foto: )

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a comercialização, distribuição, importação e o uso dos produtos da marca Kinder no Brasil. A medida, prevista em uma resolução publicada pelo órgão na quinta-feira (14), vale para os lotes fabricados pela empresa Ferrero, na Bélgica. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A decisão ocorre após a suspeita de contaminação dos produtos pela bacteria Salmonella typhimurium na Europa. De acordo com o portal g1, o Ministério da Justiça notificou a fabricante por conta da situação.

Em nota, a Anvisa informou que, embora o Brasil não esteja entre os países de destino dos produtos, considerou "prudente publicar a medida preventiva com o objetivo de informar à sociedade e d evitar que o produto seja consumido ou trazido de fora do país por pessoas físicas ou importadoras". 

A empresa também foi notificada pela Anvisa a prestar informações sobre os produtos e o controle de importações por terceiros. 

A Ferrero Brasil informou em nota, enviada ao g1, que recebeu na quarta-feira (13) a notificação oficial da Secretaria da Defesa do Consumidor - setor ligado ao Ministério da Justiça. A empresa segue em contato com as autoridades brasileiras prestando todas as informações. 

Ainda de acordo com a Ferrero, o recall realizado em outros países é referente apenas a produtos das linhas Kinder Surprise, Kinder Mini Eggs, Kinder Surprise Maxi 100g e Kinder Schokobons, produtos que são fabricados na Bélgica e que não são vendidos no Brasil. 

"Estes produtos não são vendidos pela Ferrero no Brasil, portanto não há que se falar em retirada destes itens do país", disse em nota.

Leia também: 

Vídeo: repórter da TV Globo é esfaqueado em Brasília

Por que a gasolina continua cara em SC mesmo com a queda do dólar

Preços de chocolates em Florianópolis variam até 83% nesta Páscoa

Colunistas