nsc
hora_de_sc

Manifestações

Após manifestação tensa na Comcap, acesso a caminhões de lixo é liberado em Florianópolis

Ao menos seis pessoas ficaram feridas durante a manifestação que pedia o fim da tercerização da coleta de lixo na Capital

21/09/2021 - 16h35 - Atualizada em: 22/09/2021 - 13h30

Compartilhe

Por Luana Amorim
Manifestação teve gás de pimenta, agressão e bala de borracha
Manifestação teve gás de pimenta, agressão e bala de borracha
(Foto: )

Depois de horas de negociações, a entrada do Centro de Valorização de Resíduos (CVR), no bairro Itacorubi, em Florianópolis, foi liberada por volta das 16h30 desta terça-feira (21). O trecho foi interditado por manifestantes que são contra a terceirização da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap). Houve confusão no local durante todo o ato. 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Os protestos iniciaram durante a manhã. Dezenas de pessoas, segurando faixas e cartazes, pediam pelo fim da terceirização da coleta de lixo na Capital. Equipes da Guarda Municipal de Florianópolis (GMF) e da Polícia Militar tentaram negociar com o grupo a fim de que o acesso ao CRV fosse liberada. 

Porém, por volta das 12h, quando um caminhão de lixo tentou entrar no local, houve confusão entre os manifestantes e as forças de segurança, com o uso de balas de borracha e spray de pimenta. Ao menos seis pessoas ficaram feridas, entre protestantes e agentes da GMF.

> Fotos e vídeos mostram clima tenso e confusão em protesto na Comcap, em Florianópolis

> Por que há uma batalha sobre a coleta de lixo em Florianópolis; veja vídeo

As negociações para a liberação da entrada continuaram durante a tarde. Por volta das 15h, o juiz Sérgio Roberto Bassch Luz, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), determinou o imediato desbloqueio do local. Ele afirmou que já há outra decisão que impede que o sindicato realize qualquer bloqueio no CRV e, por isso, os grevistas estariam descumprindo a determinação da Justiça. 

O secretário municipal de Segurança Pública de Florianópolis, Comandante Araújo Gomes, então, voltou a conversar com os manifestantes. Nisso, o grupo realizou uma votação para decidir se o CRV seria liberado, mas a maioria optou por continuar o bloqueio.

Com isso, uma nova confusão se deu na frente do CRV, inclusive com a queima de pneus e o lançamentos de bombas de efeito moral. Segundo informações da NSC TV, os funcionários foram conduzidos para a SC-404, e a entrada foi desbloqueada. 

De acordo com o comandante da GMF, Valcir Brasil, por volta das 16h30, os caminhões já haviam feito o transbordo no CRV e continuam a realização do serviço na cidade. Além disso, ele informou que já houve a dispersão da maioria dos manifestantes, porém, as equipes continuam acompanhando a movimentação no local. 

O Hora de SC tentou contato com o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem) sobre a dispersão, mas não teve retorno até a publicação. 

Leia também: 

PM é atropelado e arremessado a 5 metros em Florianópolis

Bolsonaro mente na ONU e cria mitos sobre o próprio governo

Homem teria se desagradado com o fato de os rapazes estarem na frente de casa bebendo e ouvindo música

Colunistas