nsc
an

Meio ambiente

Árvore que produz toxina mortal para abelhas pode ter plantio proibido em Joinville

Se projeto for aprovado na Câmara de Vereadores, multa para quem plantar a árvore pode passar de R$ 3,1 mil

14/04/2021 - 05h00 - Atualizada em: 14/04/2021 - 12h02

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Árvore produz toxina letal a abelhas e prejudicial a aves
Árvore produz toxina letal a abelhas e prejudicial a aves
(Foto: )

A árvore conhecida como bisnagueira pode ter o plantio probido em Joinville. A Câmara de Vereadores de Joinville analisa projeto defendido pelo vereador Adilson Girardi (MDB).

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

A principal justificativa é a toxina produzida pela planta que tem como nome científico spathodea campanulata. A substância é letal para abelhas e prejudicial para aves como beija-flores.

O texto foi aprovado na última segunda-feira (12) pela Comissão de Legislação. A proibição, caso aprovada, também está acompanhada por uma multa de dez unidades padrão municipais (UPM), o que corresponde, atualmente, a R$ 3.168,80. 

> Incêndio na Cidadela Antarctica de Joinville foi causado por "ação humana", aponta laudo

Na proposta, o vereador quer também estimular a substituição da planta por espécies nativas. No caso de manutenção da árvore por impedimento do corte, ele defende que a poda seja feita antes das floradas.

O texto também será avaliado pela Comissão de Urbanismo antes de ser apreciado pelo Plenário. Em nível estadual, também já há uma lei proibindo a produção e plantio da árvore.

Alteração do Código Municipal do Meio Ambiente

A proposta de Girardi altera o Código Municipal do Meio Ambiente (LC 29/1996) para criar a lista de árvores proibidas no município. Além da bisnagueira, que ficaria proibida em todo o município, a outra espécie proibida é a ficus benjamina, ou figueira benjamim. 

> O que fazer com o prêmio do BBB 21?

A planta não pode ser semeada a menos de cinco metros de logradouros públicos. A justificativa para a proibição nessas condições é o dano a calçadas que as raízes da árvore podem causar. As figueiras da avenida Hermann August Lepper são dessa espécie.

Colunistas