nsc
an

Temporal

Bairros de Joinville registram alagamentos após chuva intensa

Em duas horas, choveu o equivalente a cinco dias no município

29/12/2020 - 07h37 - Atualizada em: 29/12/2020 - 08h09

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Casas foram atingidas pelas inundações
Casas foram atingidas pelas inundações
(Foto: )

A chuva intensa registrada na noite da última segunda-feira (28) causou alagamentos em pelo menos seis barros de Joinville. Os mais atingidos foram o Floresta, Santa Catarina e Anita Garibaldi.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Já os bairros Vila Nova, Nova Brasília e Morro do Meio tiveram alagamentos pontuais. O mesmo foi registrado em outros bairros da zona Sul da cidade. 

De acordo com a Defesa Civil, algumas casas foram atingidas, mas ninguém ficou desabrigado. A ocorrência mais grave registrada pelo órgão foi uma queda de muro no bairro Floresta.

> Joinville registrou alagamentos por causa da chuva no último domingo

Ainda segundo a Defesa Civil, choveu 40 milímetros em apenas duas horas, entre as 19h e 21h. A quantidade é equivalente a cinco dias do mês de dezembro, em condições normalizadas de chuva. 

Além disso, os alagamentos foram causados principalmente pela intensidade da chuva; a maré foi pouco significativa. 

Alagamentos atingiram casas na noite da última segunda-feira
Alagamentos atingiram casas na noite da última segunda-feira
(Foto: )
Rua alagada após chuva intensa
Rua alagada após chuva intensa
(Foto: )

Previsão para esta terça-feira

Alerta de temporais na região amarela do mapa
Alerta de temporais na região amarela do mapa
(Foto: )

A Defesa Civil alerta para a possibilidade de temporais isolados em boa parte do estado nesta terça-feira (29). A razão é a combinação de calor durante o dia e umidade. 

Segundo o órgão, são esperadas pancadas de chuva de moderada a localmente de forte intensidade em curto período de tempo, acompanhadas de raios, rajadas de ventos e eventual queda de granizo na área em amarelo do mapa. Pontualmente, podem ocorrer alagamentos e deslizamentos.

Recomendações da Defesa Civil

- Deslizamentos de terra: atenção a qualquer movimento de terra ou rochas próximas às residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil do Município, pelo telefone 199, ou Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193.

- Tempestades: proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe das janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

- Alagamentos/inundações: evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

- Enxurradas: não fique próximo às margens de rios e ribeirões, principalmente em regiões de relevo acentuado, montanhoso e pequenos vales, pois muitas vezes há temporais intensos sobre os topos e cabeceiras, gerando repentinamente grande quantidade de água num curto espaço de tempo. Este tipo de evento adverso apresenta grande poder destrutivo, podendo arrastar veículos, pessoas, animais e mobílias por vários quilômetros. A força das águas pode ainda provocar o rolamento de blocos de pedras, arrancar árvores, destruir edificações e causar deslizamentos de terra nas margens.

Colunistas