nsc
santa

Royalties

Blumenau lança edital para conceder marca da Oktoberfest à iniciativa privada

Dinheiro irá para o Fundo Municipal de Turismo

18/11/2020 - 14h27 - Atualizada em: 18/11/2020 - 15h11

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Porcentagem mínima exigida é de 4,5% do valor líquido dos produtos
Porcentagem mínima exigida é de 4,5% do valor líquido dos produtos
(Foto: )

Foi lançado nesta quarta-feira (18) o edital de licitação para a contratação da empresa que terá a concessão da marca Oktoberfest Blumenau. A ganhadora terá direito de fabricar produtos com a marca mediante o pagamento de royalties. As propostas serão recebidas no dia 18 de dezembro. 

​> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp. É só clicar aqui.​

O licenciamento dos produtos da Oktoberfest Blumenau será semelhante ao já trabalhado por grandes eventos privados, como o Rock in Rio, Lolapallooza e as Olimpíadas. Tudo será vendido nos estabelecimentos da Vila Germânica e em plataforma e-commerce. De acordo com o edital, a porcentagem mínima exigida é de 4,5% do valor líquido dos produtos. Os valores serão revertidos para o Fundo Municipal de Turismo. 

— Hoje nós não temos como controlar a utilização da marca Oktoberfest Blumenau em produtos. E infelizmente por este motivo observamos itens que não seguem o padrão que almejamos — defende o secretário de Turismo e presidente do Parque Vila Germânica, Marcelo Greuel.

A empresa vencedora poderá desenvolver itens como canecos, copos, camisetas, bonés, trajes típicos, chapéus, chaveiros, pins, imãs de geladeira e tirantes. Também será responsável pelo acompanhamento de mercado e controle antipirataria. 

O edital estabelece o dia 31 de dezembro de 2021 como data limite para comercialização de produtos com a marca Oktoberfest Blumenau sem autorização da Vila Germânica e fora do contrato de licenciamento. 

— Além disso, é a continuidade de ações de fortalecimento dos produtos locais que já desenvolvemos, como a qualificação dos artesãos, em parceria com o Sebrae, além da criação do selo “Produzido em Blumenau” — acrescenta Greuel. 

O contrato de concessão terá validade de 10 anos, podendo ser renovado por mais uma década. 

Colunistas