nsc
dc

Visita

Bolsonaro usa helicóptero fora da agenda e provoca aglomeração em cidade goiana

O presidente descumpriu os protocolos de segurança e não usou máscaras, nem manteve o distanciamento

17/04/2021 - 15h04

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Pazuello e Bolsonaro em Goiânia
Bolsonaro visita cidade goiana junto a Pazuello
(Foto: )

O presidente Jair Bolsonaro mobilizou dois helicópteros oficiais para, fora da agenda, viajar neste sábado (17) para a cidade de Goianápolis (GO), a cerca de 190 quilômetros de Brasília.

> Receba notícias da NSC em seu WhatsApp

Sem o uso de máscara, o presidente decolou do Palácio do Alvorada e pousou em um campo de futebol cercado, em torno do qual pessoas de todas as idades se aglomeraram nos arredores para receber os seus cumprimentos.

Contrariando protocolos sanitários, Bolsonaro, que não usava máscara, estendeu a mão a várias pessoas que se espremiam na grade, incluindo idosos, do grupo de risco da Covid-19. O presidente ainda carregou uma criança no colo e tirou fotos com simpatizantes.

> Vacinação da Covid em SC: locais, fases de aplicação, idades e tudo sobre

A visita de Bolsonaro foi transmitida ao vivo pelo deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), líder do PSL. Além dele, estavam na comitiva o ministro da Defesa, o general da reserva Walter Braga Netto, e o general da ativa Eduardo Pazuello, demitido há três semanas do Ministério da Saúde.

A Pandemia no Brasil

O Brasil registrou 3.070 mortes pela Covid e completou, nesta sexta-feira (16), 31 dias com média móvel de óbitos acima de 2.000 por dia.  

> A guerra interna do bolsonarismo pelo Governo de Santa Catarina; veja análise

Apesar da queda da média móvel de mortes pelo quarto dia consecutivo, o dado permanece elevado: 2.870 mortes por dia nos últimos sete dias. A média móvel é um instrumento estatístico usado para amenizar variações de dados. Ela é obtida pela soma de todas as mortes dos últimos sete dias e divisão do resultado por sete. A média completou, nesta sexta, 86 dias acima de 1.000 mortes por dia.

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.

Leia também

> Opínião: políticos de SC avaliam futuro de Lula após anulação de condenações

> O que o príncipe Philip veio fazer em Florianópolis, em 1962

> 'É sobrenatural', diz marido de Paulo Gustavo sobre luta do ator contra Covid

Colunistas