nsc
    dc

    Ressignificação

    Cabelo branco: mulheres assumem fios naturais e rompem padrões de beleza

    Suzana Alves, símbolo sexual na década de 1990 com a personagem Tiazinha, levantou a discussão ao assumir o cabelo grisalho durante a pandemia. Tendência ganha força nas redes socias e a hashtag #greyhair tem quase 2 milhões de publicações no Instagram

    28/06/2020 - 11h00 - Atualizada em: 29/06/2020 - 10h08

    Compartilhe

    Por Janaína Laurindo
    O processo da atriz aconteceu durante a pandemia de combate ao coronavírus.
    O processo da atriz aconteceu durante a pandemia de combate ao coronavírus.
    (Foto: )

    Maturidade foi a palavra usada por Lenir Spahelin para definir o processo de transição capilar e aceitação dos fios brancos. Aos 62 anos, a aposentada confessa que nunca teve problema para mudanças no cabelo – já raspou, alisou, encrespou – mas por cobrança da sociedade ficou por muito tempo condicionada a manter os fios coloridos sempre que apareciam os grisalhos. O ciclo encerrou quando ela aceitou que o valor como pessoa não estava nos cabelos, que pelo contrário, mostravam a sua experiência de vida. 

    – Eu estava com muitos fios brancos e não queria mais pintar. Foi aí que entendi que eu não precisava me comparar com ninguém e que podia aceitar as coisas como elas são, sem muitos questionamentos.

    O processo de transformação foi acompanhado pelo cabeleireiro Júlio Proença, que teve papel importante ao apoiar a escolha de Lenir.

    – Fui a outros cabeleireiros que perguntavam: “Mas será?” – relembra ela.

    O questionamento vinha acompanhado da falta de referência de mulheres à volta que tivessem feito a mesma escolha. No Brasil, ainda são poucas as celebridades que aderiram ao estilo. Embora nas redes sociais o movimento de mulheres que assumem os cabelos grisalhos ou que aderem aos fios destonalizados por uma questão de estilo, venha ganhando muitas admiradoras. A hashtag #greyhair, que traduzida significa cabelo grisalho, já tem quase 2 milhões de publicações no Instagram. 

    Mesmo sem muitas referências, Lenir apostou no novo visual com os fios brancos.
    Mesmo sem muitas referências, Lenir apostou no novo visual com os fios brancos.
    (Foto: )

    Nesse sentido, ao assumir os fios brancos Lenir passou ser referência para pessoas próximas. A atriz Suzana Alves, 41 anos, que foi símbolo sexual no final da década de 1990 e início dos anos 2000 com a personagem Tiazinha, também chamou a atenção recentemente ao postar uma foto nas redes sociais em que aparece com os fios brancos e levantou o assunto para discussão. O processo da atriz aconteceu durante a pandemia de combate ao coronavírus, onde salões precisaram ficar fechados, mas ela revela que o desejo já era anterior.

    – Meu estilo de vida gira em torno de uma vida saudável, a pandemia me empoderou a tomar coragem e tirar a última coisa que faltava de química, o tonalizante. Foi um processo natural. Comecei a me apaixonar pela textura, pela cor e pela quantidade de cabelo. Meu cabelo não estava feliz, aí ele reviveu com qualidade! – diz a atriz. 

    Atriz tentou aplicar tonalizante e henna antes de apostar nos fios naturais.
    Atriz tentou aplicar tonalizante e henna antes de apostar nos fios naturais.
    (Foto: )

    O fato de assumir a idade e a desconstrução do personagem que foi ícone pop de uma geração, acendeu ainda mais a questão de não colocar o peso da idade no cabelo. Os cabelos brancos são polêmicos porque lembram as pessoas de que as mulheres envelhecem. A atriz – que está passando a quarentena em casa ao lado do marido, do filho Benjamin, de três anos, e do enteado, de 15 anos –, diz estar vivendo um processo de amadurecimento. Ela define o que sentiu ao assumir os fios naturais:

    – A sensação é de juventude, o oposto do estereótipo, me sinto pronta para começar a vida! Não dá para explicar.

    Desconstrução de alguns padrões de beleza

    A sociedade impõe padrões de beleza que estão na maioria das vezes desconectadas com questões de saúde física e até mental, a comparação com o outro aparece sempre como um ponto nessa desconstrução e esse processo tem sido ainda mais forte no período em que o mundo precisou se voltar para dentro – de casa e do próprio eu – para combater um vírus.

    – Toda essa ressignificação em relação ao cabelo a gente pode estender para várias outras partes do corpo. E isso estou vendo atualmente dentro do consultório. Mulheres que pararam de usar cílios postiços, alongamento de unhas, que deixaram de fazer aplicação de botox por uma questão de aceitação de desenvolvimento do ser humano – compartilha a psicóloga Fernanda Baggio Gasperin, especialista em terapia cognitiva comportamental e neuropsicologia, que lembra que o processo de envelhecimento passa pelo aparecimento de rugas e dos fios brancos.

    Processo de reconstrução 

    Mas e quando os fios aparecem ainda na adolescência? A jornalista Yasmine Fiorini começou a perceber alguns fios brancos aleatórios aos 18 anos. No início, arrancava os poucos que surgiam, pois a textura grossa e enrolada dos fios, segundo ela, ficavam ainda mais destacados em seu cabelo que é liso. Aos 30 anos, assumiu definitivamente os grisalhos. No corte atual, bem curtinho, eles estão ainda mais aparentes, mas não são mais um problema. 

    A jornalista Yasmine começou a perceber os primeiros fios aos 18 anos.
    A jornalista Yasmine começou a perceber os primeiros fios aos 18 anos.
    (Foto: )

    – Para mim, deixar os cabelos brancos faz parte de todo um processo de desconstrução que eu venho passando nos últimos tempos, especialmente desde que me assumi lésbica aos 26 anos. Tem a ver com um rompimento com padrões de feminilidade que hoje já não fazem mais sentido na minha vida, mas que faziam no passado, quando eu achava que precisava estar sempre perfeita e impecável para ter algum valor. Tem a ver com o amor próprio que conquistei nesse processo, e a liberdade que senti quando percebi que eu não precisava mais tentar ser uma pessoa que eu nunca fui.

    Dicas para manter o cabelo grisalho

    O cabeleireiro Júlio Proença, que fez a transição capilar em Lenir, orienta sobre alguns cuidados para manter os fios brancos.

    – É importante ter em casa bons produtos, pois com os fios brancos você não precisa mais ter a necessidade de estar sempre no salão. Com um bom shampoo, um bom condicionador, uma boa máscara e, se possível, fazer o tratamento dos fios durante a sua rotina. Os fios brancos tendem a ser mais secos e duros e bons produtos irão ajudar a manter esse cabelo macio e mais brilhoso.

    No processo de transição a melhor opção, segundo os profissionais, é deixá-los crescer naturalmente. Foi o que Yasmine optou e que ela acompanhou também em sua mãe.

    – Coincidentemente, minha mãe também estava nesse processo após pintar o cabelo de preto a vida toda. Ela não quis cortar o cabelo muito curto e tinha a raiz bem branca, então ela ficou anos nessa transição. Como meu caso era bem mais simples, acho que ela me inspirou a deixar os fios brancos também. Vi que eu não precisava sofrer, era só deixar o cabelo pintado crescer e ir cortando as pontas até que ele estivesse 100% natural – conta a jornalista.

    Deixar os fios mais curtos é uma dica importante, retirar o máximo de química do cabelo faz com o processo não pareça tão demorado. Mas como aceitar os fios brancos vai além da questão estética, o tempo pode ser o ingrediente essencial na ressignificação de todos os conceitos impostos pela sociedade.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas