nsc
dc

Mobilidade urbana

Carona pode ser solução para o trânsito da capital catarinense

Economia e segurança são pontos que destacam a opção de deslocamento

28/05/2021 - 13h14 - Atualizada em: 28/05/2021 - 13h21

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
99Carona
Especialistas apontam que quantidade de veículos circulando na região é o principal desafio para o trânsito da capital
(Foto: )

Ter um compromisso de trabalho ou faculdade pode ser um pesadelo para quem mora na capital catarinense. Nos horários de pico, o trânsito varia tanto que é comum a necessidade de sair muito mais cedo para garantir a chegada no momento combinado.

> Engavetamento com 10 carros bloqueia trânsito em túnel de Florianópolis

Fila na ponte pela manhã e ao final do dia, fila na Avenida Beira-mar no horário de almoço… Até no final de semana, quando você sai para relaxar, com o trânsito na Lagoa da Conceição, que acaba postergando o camarão ou a tainha no almoço em família.

Mesmo na pandemia, o trânsito ainda desanima os manezinhos. Muita gente prefere enfrentar o trânsito a pegar um ônibus lotado, com risco de contaminação pela Covid-19.

Na avaliação de Bernardo Meyer, coordenador do Observatório de Mobilidade Urbana da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o excesso de uso de veículos individuais na locomoção diária reflete na piora da mobilidade e o sistema de transporte público ainda não funciona como deveria.

— Os tempos de viagem são maiores do que quando utilizam os veículos individuais. Florianópolis não tem 1km de faixa exclusiva de ônibus - eles circulam com igualdade de condição com os carros e o trajeto demora ainda mais — analisa.

Carona é opção de baixo custo e grandes benefícios

Rodrigo Ferreira, gerente de Políticas Públicas e Pesquisa na 99, empresa de mobilidade urbana e conveniência, aponta que a carona entra como opção para aumentar a acessibilidade e ajudar a reduzir custos.

— Nós lançamos o 99Carona após analisar o que há de mais moderno em termos de mobilidade nos outros países e empregamos tecnologia de ponta para oferecer uma opção acessível e segura para os deslocamentos, seja indo ao trabalho, estudo ou em momentos de lazer. Sabemos que viagens compartilhadas podem otimizar o uso do espaço viário e isso traria também redução no tempo da viagem — destaca Ferreira.

Desde janeiro, quando começou a funcionar o 99Carona em Florianópolis, a empresa registrou um crescimento de 184% no número de caronas oferecidas e, diferente de outras opções existentes, o 99Carona não solicita um ponto de encontro, e sim direciona o condutor ao local de embarque do passageiro. A vantagem tem sido bem aceita pelos usuários já que mais que dobrou o número de passageiros que usam a categoria frequentemente.

Diferente das outras categorias oferecidas pela 99 - e que são feitas pelos motoristas parceiros -, o 99Carona foca nas viagens rotineiras, ou seja, trajetos que já são feitos e conecta usuários que estão indo na mesma direção. Além de tirar carros das ruas ao permitir o compartilhamento e colaborar com a melhoria da mobilidade, o 99Carona também possibilita a divisão de custos e amplia o senso de comunidade.

Alternativa, principalmente, para mulheres

Daniely Votto, especialista em políticas públicas de gênero, mobilidade e cidades, afirma que as mulheres sofrem ainda mais com o problema de mobilidade, pois são responsáveis pela maior parte de deveres e cuidados relacionados aos filhos e parentes, como levar na escola, na creche e no hospital.

> Mulher pula de carro em movimento para escapar de assédio em SC; veja vídeo

— Elas são as que mais precisam de transporte público e as que menos têm esse acesso garantido. Não temos paradas de ônibus seguras, iluminadas. Geralmente os postes são voltados para a rua e não para a calçada. Ela vai de casa para o supermercado, em pequenos trajetos. Os homens fazem muitas viagens triangulares, de casa para o trabalho e vice-versa. E uma das coisas que mais afasta a mulher do transporte público é a segurança pessoal e viária — analisa. — Se eu sei que no meu prédio tem duas pessoas que vão para o mesmo lugar que eu, por que não pegar uma carona? Elas podem ser uma saída e muita gente se sente ainda mais segura se a motorista for uma mulher. Considero importante também ter essa rede — completa.

Assista o debate de especialistas, mediado por Ânderson Silva, sobre o tema Mobilidade Urbana em Florianópolis

Colunistas