nsc
santa

Na estrada

Casal de Blumenau viaja de carro para conhecer todas as 295 cidades de SC

Sthefany e William começaram o projeto em abril de 2020 e já conheceram 122 cidades do Estado

12/06/2021 - 07h05

Compartilhe

Por Giulia Machado
A dupla em Coronel Freitas, no Oeste catarinense
A dupla em Coronel Freitas, no Oeste catarinense
(Foto: )

Quem nunca sonhou em viajar e conhecer vários lugares diferentes? Foi pensando nisso que o casal de Blumenau Sthefany da Silva, 27, e William Novasky, 31, embarcou em um carro popular no dia 17 de abril de 2020 para dar início ao projeto de conhecer todas as 295 cidades de Santa Catarina. Desde então, os dois já passaram por 122 delas.

> Acesse para receber as notícias do Santa por WhatsApp

A ideia de viajar o mundo já passou pela cabeça da maioria das pessoas, mas o que não se costuma ter em mente é que mesmo perto de onde se vive existem muitos lugares especiais e incomuns esperando para serem explorados. A proposta do par é justamente mostrar que não é preciso muito dinheiro para viajar.

O casal de espírito aventureiro está junto há pouco mais de dois anos e a ideia de conhecer todo o Estado surgiu logo após a perda precoce da mãe de Sthefany para um câncer, em março de 2020.

— Éramos muito apegadas, e depois do falecimento dela eu precisava de um escape — conta.

Foi então que ela sugeriu o roteiro para o namorado. William, que sempre gostou de viajar, topou a ideia. Com a situação da pandemia, o plano foi conhecer primeiro cidades menores e mais afastadas até que o quadro se estabilizasse para então visitar os lugares com mais movimentação de pessoas.

A rota começou pelas cidades mais próximas a Blumenau, no Vale do Itajaí. Em junho, o casal começou a visitar algumas cidades do Extremo Oeste.

— Foi aí que percebemos o quão grande é esse projeto — afirma a blumenauense.

Sthefany e William em Alfredo Wagner
Sthefany e William em Alfredo Wagner
(Foto: )

Roteiro

O casal viaja apenas aos finais de semana. De segunda a sexta-feira, William atua como programador e Sthefany em uma empresa na área de e-commerce. Com a chegada do fim de semana, o casal dá a partida no carro 1.0 e cai na estrada. O objetivo inicial era concluir a iniciativa em três anos, mas eles acreditam que terminarão antes.

Os dois costumam acampar nos locais que visitam, ou ficam na casa de conhecidos. Em três ocasiões, chegaram a dormir no carro, onde também cozinham. Eles já passaram por pelo menos uma cidade em todas as regiões turísticas do Estado, e duas já foram completadas: Caminhos da Fronteira e Vale das Águas.

Sthefany conta que a cidade mais surpreende que visitaram até agora foi Quilombo, no Oeste catarinense. Urussanga, no Sul do estado, e São João do Oeste, onde fica a maior igreja de madeira da América Latina, também são lembradas como destinos que impressionaram.

— Temos uma “mini-Cataratas do Iguaçu” aqui no Estado e eu não fazia ideia — explica.

Cataratas do Salto Saudades, em Quilombo
Cataratas do Salto Saudades, em Quilombo
(Foto: )

Perrengues de viagem

Não é apenas de momentos bons que vive o viajante, e Sthefany brinca:

— Perrengue é o que não falta, né.

Os dois já ficaram — por ironia do destino — com o carro atolado na cidade de Paraíso, no Oeste do Estado. Eles contaram com a ajuda de um casal de amigos que participava da viagem para desatolar o veículo.

Em outra ocasião, os dois tinham planejado passar 10 dias na estrada, mas em apenas três dias de viagem o mesmo pneu furou duas vezes, o que os obrigou a voltar para casa mais cedo.

Segundo Sthefany, uma dificuldade é não encontrar os pontos turísticos em cidades pequenas, devido à má sinalização e falta de informações na internet.

Casal trocando o pneu furado (E) e com o carro atolado em Paraíso (D)
Casal trocando o pneu furado (E) e com o carro atolado em Paraíso (D)
(Foto: )

Futuro dos viajantes

Os dois planejam viver das viagens e se tornar nômades, sem uma moradia fixa. Para isso, eles têm trabalhado documentando as andanças e dando dicas de viagem na internet com um blog chamado 'O que ninguém te conta', perfis no Instagram e Facebook, além de um canal no YouTube que está em fase de planejamento.

A dupla pode ser encontrada com o nome de 'Casal de Marte' nas redes sociais. O título surgiu de uma viagem feita ao deserto do Atacama, no Chile, para onde também foram de carro.

— Lá no deserto tem um lugar chamado “Vale de Marte”. É maravilhoso, a gente se apaixonou pelas fotos e queria fazer uma tatuagem de casal. Foi nessa viagem que percebemos que a nossa direção era a aventura — explica Sthefany.

O casal acabou tatuando um pequeno extraterrestre. Quando criaram o projeto, buscavam por um nome fácil e diferente, e a referência à viagem acabou sendo a escolhida. Hoje as pessoas já reconhecem a dupla pelo nome.

Fora das fronteiras catarinenses os dois já viajaram para estados como o Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Alagoas, além de países como a Argentina, Paraguai e Chile.

E o plano é que a lista não pare por aí.

Casal de Marte no deserto do Atacama, no Chile
Casal de Marte no deserto do Atacama, no Chile
(Foto: )

Colunistas