nsc
    dc

    Decisão do Estadual

    Chapecoense faz 2 a 0 no Brusque e abre vantagem na final do Catarinense

    Time do Oeste pode até perder por um gol no jogo de volta, domingo, às 16h, no Augusto Bauer

    09/09/2020 - 22h30 - Atualizada em: 09/09/2020 - 23h09

    Compartilhe

    Por Márcio Serafini
    Luiz Otávio marca o primeiro gol da Chape
    Luiz Otávio abriu o placar para a Chape
    (Foto: )

    A Chapecoense deu um grande passo para conquistar o sétimo título estadual de sua história ao vencer o Brusque por 2 a 0, nesta quarta-feira (9), na Arena Condá, no jogo de ida da final do Campeonato Catarinense. Os zagueiros Luiz Otávio e Joílson marcaram os gols da vitória.

    Agora, a Chape pode até perder por um gol de diferença na partida de volta, domingo, às 16h, no Estádio Augusto Bauer. O Brusque precisa ganhar por três gols de saldo para, 18 anos depois, conquistar o Catarinense pela segunda vez. Se vencer por dois gols de diferença, leva a decisão para os pênaltis.

    Jogadores cruzam os braços no Brasileirão em apoio ao Figueirense

    A força da Chape nas jogadas altas com origem em bola parada definiu o jogo. No primeiro gol, aos 21 minutos, Luiz Otávio dominou na entrada da pequena área e chutou para o gol. No segundo, aos 28 da etapa final, Joílson cabeceou para as redes.

    O gol da Chapecoense foi o divisor de águas no primeiro tempo. Aos 21 minutos, em cobrança de falta da intermediária, o zagueiro Luiz Otávio dominou dentro da área e mandou uma bomba para abrir o placar. O gol fez justiça aos donos da casa, que haviam criado duas grandes oportunidades: uma cabeçada de Anselmo Ramon aos 4 e um chute rasteiro cruzado de Denner aos 15, ambas defendidas pelo aniversariante Zé Carlos, 35 anos completados nesta quarta-feira.

    Depois do gol, a Chape recuou. Deixou de marcar a saída de bola e cedeu campo ao Brusque, à procura de um contra-ataque. Apesar de ter mais volume na segunda metade do primeiro tempo, o time visitante só exigiu uma defesa de João Ricardo. Aos 29, em falta a um passo da grande área, pelo lado direito, Thiago Alagoano soltou a bomba e João Ricardo defendeu. A etapa inicial terminou com placar justo.

    O segundo tempo seguiu com uma pressão calculada do Brusque, dividido entre buscar o empate e evitar piorar o saldo de gols. A lesão de Edu, goleador do campeonato, que só volta em 2021, reduziu a força ofensiva da equipe.

    Tranquila e cirúrgica, a Chape tratou de administrar a vantagem e, se possível, ampliá-la. Quando a chance surgiu, não desperdiçou. Paulinho Moccelin cobrou falta da esquerda e Joílson cabeceou com força: 2 a 0.

    A vantagem da Chape é boa. Ao Brusque, detentor da melhor campanha, resta uma missão difícil, mas não impossível, para o jogo de volta.

    Chapecoense 2

    João Ricardo; Matheus Ribeiro, Joílson, Luiz Otávio e Alan Ruschel; Willian Oliveira, Anderson Leite (Ronei) e Denner (Vini Locatelli); Paulinho Moccelin, Anselmo Ramon e Aylon (Ezequiel). Técnico: Umberto Louzer

    Brusque 0

    Zé Carlos; João Carlos (Edílson), Ianson, Éverton Alemão e Ronaell; Rodolfo Potiguar (Émerson Martins), Zé Mateus e Thiago Alagoano; Alex Sandro (Dandan), Fabinho (Johnny) e Marco Antônio. Técnico: Jerson Testoni

    Árbitro: Diego da Costa Cidra, auxiliado por Henrique Neu Ribeiro e Giseli Cazaril.

    Gols: Luiz Otávio, aos 21min, no primeiro tempo; Joílson, aos 28min, no segundo.

    Cartões amarelos: Luiz Otávio, Vini Locatelli (C), Marco Antônio (B)

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas