Em 24 horas, Balneário Camboriú registrou o volume de chuva que é esperado para todo o mês de novembro. Com isso, houve deslizamentos e 14 pessoas ficaram desalojadas, sendo que em dois casos os imóveis precisaram ser interditados pela Defesa Civil por conta dos riscos. Ruas ficaram alagadas até a madrugada desta quarta-feira (29), quando a água começou a baixar.

Receba notícias de Itajaí e região por WhatsApp

Conforme a Defesa Civil do município, foram 137 milímetros de chuva em um dia. Para efeitos de comparação, a média de precipitação em Balneário Camboriú em novembro é de 142 milímetros, praticamente o que foi registrado no intervalo de 24 horas. O volume foi tão expressivo que causou seis deslizamentos. Duas casas ficaram comprometidas e os moradores precisaram buscar abrigo na residência de conhecidos.

No total, 14 desalojados foram mapeados pela prefeitura, mas nenhum recorreu ao serviço público. Houve também uma queda de árvore e ruas alagadas. Nesta manhã, porém, equipes já faziam a limpeza e não havia pontos bloqueados, informou o órgão de defesa.

Veja fotos de Balneário Camboriú

Continua depois da publicidade

Estragos no Litoral

Na terça-feira (28), em Navegantes, o bairro mais atingido foi o Gravatá, que devido ao transbordamento do rio sofreu alagamentos em aproximadamente 15 ruas. Cerca de dez casas ficaram inundadas e ao menos um idoso precisou ser resgatado pelos bombeiros.

Navegantes foi a cidade catarinense que registrou a maior quantidade de chuva entre o fim da tarde de segunda e começo da manhã desta terça. Já entre a terça e quarta, o município com o maior volume foi Florianópolis, onde ruas viraram rios.

Leia mais

Rio do Sul enfrenta mais uma enchente, a sétima só em 2023

Destaques do NSC Total