A Marinha do Brasil confirmou que a estrutura do Dejour Club, primeiro clube flutuante do Estado, naufragou após a plataforma ter sido arrastada para o mar aberto em Balneário Camboriú durante a passagem de um ciclone extratropical por Santa Catarina. O naufrágio aconteceu próximo à Ilha das Cabras, no Litoral Norte, nesta quarta-feira (10).

Receba notícias do DC via Telegram

Segundo a Marinha, uma equipe de inspeção naval foi acionada e direcionada até o local para coletar dados e informações sobre o naufrágio. Até o momento, não há indícios de vítimas ou de poluição hídrica por parte da estrutura flutuante.

AO VIVO: Ciclone em SC causa deslizamentos, alagamentos e estragos

Um aviso-rádio náutico de alerta para a segurança de navegação deve ser publicado pela Marinha, visto que destroços da estrutura podem comprometer a segurança de barcos em alto mar.

Continua depois da publicidade

Um inquérito administrativo foi instaurado pela delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí, com previsão de conclusão em 90 dias, para apurar as circunstâncias e causas do naufrágio. A investigação deve ser encaminhada ao Tribunal Marítimo depois de ser concluída para a distribuição e autuação.

Plataforma em local provisório

A estrutura do Dejour Club estava atracada em um local provisório e, por isso, não suportou os fortes ventos de até 100km/h nesta quarta-feira (10).

Barcos de resgate e até mesmo de turismo tentaram conter a plataforma durante os fortes ventos, mas não conseguiram ajudar. 

O primeiro clube flutuante do Estado estava atracado na Barra Sul, próximo ao píer dos pescadores, onde a construção foi erguida. A plataforma náutica estava ancorada com correntes e poitas, mas não todas previstas no projeto. 

Continua depois da publicidade

— Estávamos esperando o período da pesca da tainha passar para deslocar a estrutura para o local certo na Barra Sul, e colocar todas as poitas previstas. Em nosso plano de fundeio estão previstas 16 poitas de cinco toneladas cada uma. Estas poitas só poderiam ser instaladas no local correto onde a plataforma funcionaria — explica Lucas Araújo, um dos sócios da Dejour.

De acordo com a assessoria do clube, o local seria deslocado para sua área definitiva antes da inauguração. Apenas lá seria possível instalar toda a proteção que garantiria suporte para ventos mais fortes do que o ocorrido, segundo os planos de engenharia náutica.  

Plano de resgate

Na manhã de quarta-feira (10), os empreendedores envolvidos com o Dejour Club ativaram um plano de resgate da plataforma para tentar evitar maiores prejuízos e garantir a integridade de pelo menos parte da estrutura. 

Entre as medidas estavam o resgate da infraestrutura que se desprendeu do píer, e acabou em alto mar, além da busca por partes que possam ter quebrado durante o processo. 

Continua depois da publicidade

Com cerca de 950m² e capacidade para receber 700 pessoas, a plataforma náutica foi projetada para reunir áreas como spa e de entretenimento.

Veja o vídeo do clube à deriva em Balneário Camboriú:

Leia também 

Com ciclone, SC tem vento de até 111 km/h e registra três vezes mais chuva do que o esperado

Mais de 200 mil imóveis ficam sem energia após passagem de ciclone em SC

Casa é destruída após queda de árvore em Florianópolis: “Perdi tudo”

Destaques do NSC Total