nsc
dc

Covid-19

Com 235 casos confirmados de coronavírus em SC, Estado volta a discutir retomada das atividades

Grupo estuda retomada de serviços assim que acabar quarentena, no dia 8 de abril

31/03/2020 - 17h25 - Atualizada em: 31/03/2020 - 18h42

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
João Lucas
Por João Lucas Cardoso
coronavírus em SC
Carlos Moisés reforçou mais sete dias de quarentena a partir de 1º de abril
(Foto: )

Subiu para 235 o número de casos positivados de coronavírus em Santa Catarina, atualizou o governo do Estado na tarde desta terça-feira (31). Desses, 22 estão internados em Unidade de Tratamento Intensivo (UT). Também são duas mortes confirmadas pela doença em 20 dias, desde que o primeiro diagnóstico alertou sobre a presença do Covid-19 em território catarinense. O primeiro óbito foi de um homem de 86 anos, de Porto Belo e outro, de um homem de 68 anos, de Joinville.

​​​> ​Em site especial, leia mais sobre o coronavírus

Em relação aos suspeitos da doença o número não é mais divulgado, segundo o Estado, porque a conta deixou de ser feita desde que a transmissão comunitária foi identificada em todas as regiões de SC. Dos 235 casos confirmados, são 118 homens e 117 mulheres, divulgou o governador Carlos Moisés da Silva (PSL):

- É um aumento de 7%, uma curva boa, não é ruim. Tivemos dois óbitos, 0,8% do total de casos detectados.

Já em relação aos casos de pacientes curados, o secretário da Saúde, Helton Zeferino disse que ainda não há informações suficientes em Santa Catarina. Em entrevista coletiva transmitida ao vivo pela internet, ele citou o que há de registro no mundo sobre o tempo necessário para a recuperação.

- Temos ideia que o paciente que ingressa em UTI vai ficar entre 14 e 20 dias. É a média. Temos percebido no noticiário com pacientes que demonstraram cura, que a reação no organismo é diferente, com base de febre e calafrios, associado à dor de garganta, perda de paladar e olfato. E, com o passar dos dias, apresentam melhora. Acreditamos que Santa Catarina siga o mesmo quadro e a partir de determinado nível de patologia, de casos efetivados, teremos extrato aprimorado deste perfil.

Sem kits para testes em SC

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-SC) zerou o estoque de kits para testagem do novo coronavírus. Segundo Zeferino, nesta terça-feira (31) o laboratório não tinha um único teste. No entanto, há previsão 50 mil testes sejam entregues ao Estado, nesta quarta-feira (1º), pelo Ministério da Saúde.

-Dependemos do Ministério da Saúde pela contratação dos laboratórios para todo o país. Identificamos novo laboratório que tem capacidade de produzir e adquirimos quatro mil testes para não ter descontinuidade na análise das amostras no Lacen - disse.

Retorno das atividades

Sobre a retomada das atividades, Moisés informou que nesta terça-feira ocorreu a primeira reunião com o grupo de estudos, que envolve representantes de segmentos da economia, prefeituras e também deputados de SC, além da equipe do próprio governo do Estado. Ficou estabelecido neste encontro inicial, que a decisão depende de respostas para pra três perguntas definidas por eles: o quê, quando e como volta a funcionar?

- Os casos vão aumentar de qualquer forma, é algo certo. Nossa população vai ter contato com o vírus. O que tentamos reduzir é a velocidade que os casos acontecem. Mas não conseguimos por tanto tempo manter a população isolada e imune. Por outro lado, temos de pensar que as pessoas precisam retomar atividade de forma segura - disse.

Foi através de um grupo de estudos que se elaborou o plano de retomada dos serviços em agências bancárias e lotéricas. A partir desta terça-feira, segundo Moisés, representantes da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e de entidades empresariais foram inseridos ao debate sobre os próximos passos da abertura econômica em meio à pandemia da Covid-19. Até lá, Moisés reforçou para a população "ficar em casa e se resguardar":

- Quanto mais tempo demorar para retomar atividades, mais achata a curva. O contato é eminente e necessário, para criar imunidade e para que a sociedade reaja. É o processo natural que acontece com gripes. O que temos de fazer é preparar a saúde pública e privada.

O secretário da Saúde também se manifestou sobre a retomada do convívio social em Santa Catarina. Ele disse que a velocidade da transmissão entre as pessoas vai depender, exclusivamente, da responsabilidade da população em relação ao comportamento individual.

- Está claro como o vírus é transmitido, através de contato próximo e superfícies, e nos faz mudar condutas quanto coletividade. Se todos fazem a parte de evitar proximidade entre pessoas, de não levar as mãos ao rosto, a velocidade de propagação será desacelerada - salientou.

Cidades com casos de coronavírus em SC

casos covid
(Foto: )

Colunistas