O Joinville Esporte Clube corre o risco de perder o Centro de Treinamento do Morro do Meio após o pedido de penhora do juiz Marcelo Roberto de Oliveira, da 14ª Vara de Apoio em Execuções Fiscais de Joinville, há cerca de um mês, conforme o presidente do JEC, Darthanhan Oliveira. O processo é referente a dívidas tributárias, avaliadas em aproximadamente R$ 20 milhões.

Continua depois da publicidade

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O valor corresponde a impostos fiscais em dívida com o governo, como INSS e FGTS. As dívidas estão fora da recuperação judicial – referente a valores trabalhistas – homologada no último mês. 

AN 100 anos

— Estamos há duas semanas falando com uma empresa especializada de Porto Alegre para auxiliar na negociação com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Foi feito o embargo da defesa, dizendo que o CT é impenhorável. Para privado sim, porém para [poder] público pode ter o entendimento de que não. Se não entrarmos em acordo e fazer as parcelas para pagar, o Joinville pode perder o CT — afirmou.

Continua depois da publicidade

Além da penhora, o presidente revelou que o clube está com problemas constantes de bloqueio de contas, e que há três semanas houve um bloqueio de cerca de R$ 70 mil, que o clube precisa para pagar a primeira parcela da recuperação judicial, na próxima terça-feira (20).

— Vai ser tão desafiador quanto a recuperação judicial. Tentaremos equalizar também para o Joinville ter duas contas fixas para pagar, e a partir disso, trabalhar para conseguir pagar — disse.

O CT do JEC pode ser penhorado?

Localizado no bairro Morro do Meio, zona oeste de Joinville, o terreno onde está instalado o CT foi uma doação do ex-presidente do JEC, Wilson Florêncio.

Em 2018, o Bradesco havia solicitado a penhora do CT do Morro do Meio, pelo não pagamento de um empréstimo feito pelo clube.

Continua depois da publicidade

Na época, ficou entendido que o bem do JEC está registrado com uma cláusula de inalienabilidade e impenhorabilidade, feita pelo ex-presidente responsável pela inauguração do CT.

Acerca das dívidas atuais, Darthanhan Oliveira explicou que o CT é impenhorável para dívidas privadas, como a de 2018 para bancos, mas, para dívidas públicas, como a atual para o Governo, pode ser sim penhorado.

*Sob supervisão de Lucas Paraizo

Leia também

Corinthians deve R$ 600 mil ao JEC pela compra de Chrystian Barletta, do São Bernardo

Técnico do JEC é homenageado e presenteia presidenta do Palmeiras com camisa Tricolor

Ex-Joinville, jogador desiste do futebol e se torna empreendedor: “R$ 1 milhão por mês”

Destaques do NSC Total