A misteriosa morte de Djidja Cardoso, ex-sinhazinha do Boi Garantido no Festival de Parintins, trouxe à tona a “cetamina”. Geralmente utilizado em anestesias, o medicamento teria sido manipulado em seitas da família e levado a mulher à morte. Mas afinal, o que é a cetamina e por que o anestésico foi o escolhido? Quais são os seus efeitos e como ela pode chegar a matar uma pessoa? Descubra essas e outras respostas lendo o texto abaixo.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

Saiba mais sobre a cetamina

Continua depois da publicidade

O que é a cetamina?

De acordo com o Instituto de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins, a cetamina, também conhecida como ketamina, é uma droga que foi desenvolvida na década de 1960 para ser usado como um anestésico emergencial no campo de batalha da Guerra do Vietnã. Porém, tanto nos conflitos quanto na comunidade médica, esse uso foi controlado – algo que não acontece quando utilizado como droga.

Efeitos da cetamina influenciaram escolha por seita

Os usos desse anestésico de forma indiscriminada têm sido tão comuns que até a DEA, órgão que faz o controle de drogas nos Estados Unidos, vem alertando sobre o tema. Segundo a instituição, esse medicamento tem efeito alucinógeno e dissociativo, e faz a pessoa se “descolar” da realidade. Além disso, a droga pode também causar as seguintes sensações no corpo humano:

  • Induzir um estado de sedação (ficar calmo e relaxado);
  • Aliviar dores;
  • Causar a perda de memória dos eventos ocorridos enquanto sob efeito do medicamento.

Continua depois da publicidade

São esses efeitos sedativos e que trazem desconexão com a realidade que podem ter levado os integrantes da seita a escolher a substância. Afinal, os efeitos sedativos e de alucinações podem justamente dar a impressão de “transcedência”, o que os integrantes buscavam.

Quando a cetamina é indicada?

Apesar de trazer riscos quanto usada de forma irregular, a cetamina é, sim, indicada para alguns tratamentos mediante prescrição e acompanhamento médico. De acordo com a Associação Brasileira de Estudos sobre a Obesidade e Síndromes Metabólicas, esse anestésico pode ser usado, por exemplo, no tratamento de depressão. 

Muito disso ocorre pois os efeitos biológicos causam uma melhora muito rápida no organismo de quem o utiliza. Tanto que a Anvisa reconhece o medicamento como possível tratamento para a depressão desde o ano de 2020. Contudo, é preciso cuidado para se usar a dosagem correta, já que a overdose traz sérios riscos à vida.

Continua depois da publicidade

Como a cetamina pode matar?

A cetamina é uma substância que, como já falamos, no mínimo exagero pode causar uma overdose. De acordo com o American Addiction Center, dentre os sintomas de uma overdose em cetamina estão:

  • Amnésia;
  • Problemas de Coordenação Motora;
  • Dificuldade para respirar;
  • Convulsões.

Apesar deles, a overdose de cetamina geralmente não é fatal, mas o risco de morte aumenta se o medicamento for misturado com outras substâncias.

A mistura com álcool, por exemplo, é muito perigosa, já que ambas as substâncias afetam funções respiratórias e cardiovasculares. E, de forma geral, uma pessoa que utiliza cetamina precisa ser monitorada por longos períodos. Isto pois o efeito da droga pode durar entre 15 minutos e algumas horas. Normalmente, a pessoa passa por atendimentos laboratoriais.

Continua depois da publicidade

Já nos casos graves, pode ser necessária a respiração com ajuda de aparelhos.

Leia mais

O que acontece no organismo quando ingerimos álcool

Destaques do NSC Total