nsc
dc

Tecnologia

Como a inovação impulsiona uma nova cultura na construção civil

Uso de aplicativos, softwares, drones, realidade aumentada, compartilhamento de dados e nanotecnologia são algumas das tecnologias usadas em obras do país

11/06/2021 - 19h44

Compartilhe

Por Redação NSC
construção civil
Inovação impulsiona uma nova cultura na construção civil
(Foto: )

O avanço dos recursos tecnológicos impacta nosso cotidiano e os diversos setores do mercado e na construção civil este cenário não é diferente. Mesmo que ainda de maneira tímida, os processos da área já vêm sendo otimizados por intermédio da digitalização. Uso de aplicativos, softwares, drones, realidade aumentada, compartilhamento de dados e nanotecnologia são algumas das tecnologias já empregadas nas obras aqui no Brasil. Mas o mercado internacional prevê diversas outras inovações, o que nos faz perceber que o futuro não está tão longe assim.

> Universidade e Inovação Tecnológica: uma nova e necessária forma de interação

Em nosso cotidiano podemos perceber como as possibilidades evoluem todos os dias. Na construção civil, uma das maiores indústrias do planeta na geração de empregos, essas possibilidades se aplicam de maneira a atribuir eficiência às atividades racionalizando o tempo, material e mão de obra desde o planejamento até a execução dos projetos.

Essa mudança de cultura não impacta somente nos custos, mas também nos investimentos, nas oportunidades e na produtividade dos empreendedores do setor. Por meio da tecnologia se pode chegar a resultados melhores e mais sustentáveis.

Esses impactos são causados pela quarta revolução industrial, que insere na construção civil tecnologias que fomentam a competitividade no setor. Na era 4.0 da construção civil, as tarefas, antes desenvolvidas manualmente, agora passam a ser realizadas de maneira mais ágil e automática pelas máquinas inteligentes, recursos oriundos da internet e de softwares.

Um exemplo é o decreto nº 10.306, que determina a utilização do Building Information Modelling (BIM) na execução de obras e serviços de engenharia, ou seja: as construtoras que tiverem interesse em participar de licitações públicas federais precisarão inserir o BIM na execução dos projetos. Essa ferramenta oferece modelos virtuais que possibilitam visualizar e compreender com clareza o projeto antes de sua execução.

> Crianças e jovens na tecnologia: a nova aposta de São José para a economia

Outro destaque importante é o surgimento das construtechs, que são startups focadas em desenvolver tecnologias para o setor, sejam elas softwares, equipamentos ou materiais que contribuam para o desenvolvimento das construtoras.

Segundo um levantamento feito pela Terra Cotta Ventures, o crescimento das construtechs avançou 235% nos últimos anos. Eram apenas 250 negócios desse tipo em 2017 e em 2020 já são 839.

> WhatsApp deve permitir ouvir áudios antes de enviar

As alternativas tecnológicas não são mais somente um diferencial das empresas voltadas à construção civil, elas se mostram hoje como uma tendência necessária e essencial. Esta é a nova realidade que vem se desenhando e, sem se adequar a essa cultura, as construtoras correm sérios riscos de perder sua competitividade e deixarem de atuar. Inovar com um olhar na transformação digital é, sem dúvidas, uma necessidade latente para que a construção civil brasileira volte a crescer.

*Por Adriana Bombassaro COO e co-founder da FastBuilt, construtech que alia inovação e interatividade para aproximar e facilitar o relacionamento das construtoras com seus consumidores

Colunistas