Desde 2023, a idade para fazer laqueadura, conhecida também como “ligadura tubária”, passou de 25 para 21 anos. Outra mudança foi a autorização do cônjuge, cujo consentimento deixou de ser obrigatório. O procedimento é realizado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Continue a leitura para conferir quais pré-requisitos devem ser atendidos para realizar essa cirurgia.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

O que é laqueadura e como fazê-la pelo SUS 

A laqueadura é um processo de esterilização feminina voluntária e permanente. Consiste em “bloquear” as trompas com a finalidade de evitar o contato do espermatozoide com o óvulo e, assim, impedir a fecundação e a gestação. 

Continua depois da publicidade

O procedimento dura entre 40 minutos a uma hora. De acordo com o Ministério da Saúde, além da escolha voluntária da mulher para a esterilização, pode ser recomendado nos casos em que uma gravidez coloca a gestante em risco.  

Para fazer a laqueadura, o primeiro passo é procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa e manifestar a vontade. Depois, deve-se esperar o intervalo de 60 dias até a cirurgia. Também é necessário atender alguns critérios para realizar o procedimento. Veja a seguir. 

Quais os pré-requisitos para fazer a laqueadura pelo SUS? 

Para ser “elegível” à laqueadura, a pessoa deve ter capacidade civil plena e mais de 21 anos ou, no mínimo, dois filhos vivos. Desde 2023, não é mais necessário ter consentimento do cônjuge para o procedimento.  É importante levar um documento com foto, cartão do SUS e certidão de nascimento dos filhos, se for o caso. 

Continua depois da publicidade

Há a opção de fazer a laqueadura no momento da cesariana. Neste caso, a manifestação deve ser realizada no prazo de, pelo menos, 60 dias antes do parto. 

É possível reverter a laqueadura? 

Sim. É possível reverter a laqueadura, segundo o Ministério da Saúde. Contudo, o sucesso da reversão depende de fatores como a preservação das tubas e a condição de saúde das trompas.

Métodos contraceptivos pelo SUS 

Além da laqueadura, o Sistema Único de Saúde oferece outros métodos contraceptivos gratuitos. São eles:

Continua depois da publicidade

  • Vasectomia (esterilização masculina)
  • Anticoncepcional injetável mensal
  • Anticoncepcional injetável trimestral
  • Minipílula
  • Pílula combinada
  • Diafragma
  • Pílula anticoncepcional de emergência (ou pílula do dia seguinte)
  • Preservativo feminino
  • Preservativo masculino

Leia mais

5 alimentos ricos em vitamina D para consumir durante o inverno

Os 5 chás que toda grávida deve passar longe

“Barbeiro” e outras gírias da década de 1950 que você ainda usa

Destaques do NSC Total