nsc

publicidade

ENSINO SUPERIOR 

Conselho da UFSC rejeita Future-se e reitoria diz que RU ficará aberto para todos os alunos

Decisão acompanha posicionamento de estudantes definido em assembleia na segunda-feira. Outros temas como sugestão de estudantes para suspender vestibular serão analisados na semana que vem 

03/09/2019 - 18h41 - Atualizada em: 03/09/2019 - 19h38

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Reunião do conselho voltou a lotar auditório da UFSC para discutir sobre orçamento da instituição e programa Future-se
Reunião do conselho voltou a lotar auditório da UFSC para discutir sobre orçamento da instituição e programa Future-se
(Foto: )

O Conselho Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) aprovou nesta terça-feira (4) uma moção que rejeita integralmente o texto do projeto Future-se. O posicionamento acompanha o que havia sido recomendado pela comunidade acadêmica, formada por estudantes, professores e técnicos, em assembleia na noite desta segunda-feira. Na ocasião, mais de 4 mil pessoas lotaram o espaço interno e a área externa do auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos, para se posicionarem contra a proposta do governo federal.

Uma comissão na universidade analisou o conteúdo do projeto desde a divulgação, em julho. Na reunião do conselho na tarde desta terça, diretores dos 11 centros acadêmicos de diferentes áreas de ensino e dos outros quatro campi da UFSC pelo Estado se posicionaram de forma unânime contra o projeto.

Em discursos que duraram pouco mais de três horas, saíram em defesa do ensino público e gratuito e criticaram pontos do projeto como a vinculação da gestão das instituições a organizações sociais. Novamente o auditório ficou lotado de estudantes que acompanharam a deliberação do conselho sobre o apoio ou não da UFSC ao Future-se.

O Future-se, proposto pelo governo federal, pretende criar novas formas de financiamento das universidades federais, com gestão feita por organizações sociais e criação de um fundo privado. O programa também propõe mais proximidade entre as instituições e a iniciativa privada.

Na prática, o Future-se ainda é apenas uma minuta de um projeto de lei. Até o dia 15 de agosto, foram recolhidas sugestões da comunidade. Agora, o MEC deve analisá-las antes de enviar um projeto de lei ao Congresso. Isso ainda não tem data definida para ocorrer.

A manifestação aprovada nesta terça serve como uma posição inicial da UFSC sobre o tema. Pelo país, mais de 40 das 58 universidades federais também já fizeram manifestações críticas ao programa.

"Em um contexto de medidas de bloqueio e drásticos cortes orçamentários, ao qual estão submetidas as instituições federais de ensino, e da absoluta ausência de diálogo para a propositura desse programa, a análise do PL trouxe muitas incertezas quanto aos reais benefícios em prol da manutenção financeira de todo sistema universitário público, e muitas dúvidas a respeito dos impactos acadêmicos que o programa pode trazer às instituições federais de ensino superior", diz um trecho da moção aprovada pelo conselho e lida aos estudantes.

Suspensão de vestibular será discutida na próxima semana

Na segunda-feira, os estudantes da UFSC também aprovaram posicionamentos sobre outros temas ligados ao bloqueio de recursos. Um exemplo seria a suspensão do vestibular 2020. Nesta terça, porém, a UFSC emitiu nota confirmando a realização das provas. O edital, inclusive, deve ser lançado na quinta-feira. Na reunião desta terça, o tema foi um dos mais comentados pelos estudantes. A maior parte dos que se manifestaram criticaram a proposta de suspensão do vestibular sugerida pelos alunos, alegando que isso “fecharia as portas” da instituição, sobretudo para alunos negros e carentes.

Na reunião do conselho, no entanto, não houve decisão sobre esses temas. O reitor afirmou que uma nova sessão do conselho será convocada para a próxima semana para analisar esses demais temas. Ainda na segunda-feira, os estudantes também decidiram entrar em greve a partir do dia 10 para pressionar o governo pela liberação de recursos.

Reitor afirma que Restaurante Universitário ficará aberto para todos os estudantes

Na abertura da reunião desta terça-feira, o reitor da UFSC, Ubaldo César Balthazar, prometeu manter o Restaurante Universitário (RU) aberto para todos os estudantes, e não apenas para os isentos, enquanto a instituição tiver recursos para custear as atividades deste ano.

A decisão de manter o RU aberto para todos os estudantes contraria uma das medidas que haviam sido antecipadas pela reitoria na sexta-feira. Entre as nove ações anunciadas para depois de 15 de setembro, caso o governo federal não libere os recursos bloqueados em maio, estava a limitação do RU apenas aos alunos de baixa renda, isentos de cobrança.

- Essa decisão evidentemente implica a abertura do RU até acabar o dinheiro. Acabou o dinheiro, fechou o RU, fechou a universidade - afirmou o reitor, que também anunciou a manutenção das bolsas, inicialmente ameaçadas a partir do dia 15 segundo o primeiro anúncio da reitoria. As definições foram tomadas em reunião com diretores na manhã desta terça.

A alteração iria reduzir de cerca de 15 mil refeições oferecidas por dia em todas as unidades para aproximadamente 3,5 mil – números de isentos que costumam fazer uso diário do restaurante. Agora, o RU deve permanecer aberto enquanto a instituição tiver dinheiro para manter as aulas e demais atividades.

Acesse as últimas notícias do NSC Total

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade