nsc
    dc

    Subnotificação

    Coronavírus: municípios de SC informam ter 34% a mais de casos do que o divulgado pelo Estado 

    Levantamento inédito feito pela reportagem indica cidades em que a diferença é de sete vezes, como em Sangão, no Sul do Estado. Estado reconhece haver subnotificação e questiona método dos testes feitos pelas prefeituras 

    23/04/2020 - 08h25 - Atualizada em: 23/04/2020 - 14h02

    Compartilhe

    Cristian Edel
    Por Cristian Edel Weiss
    Em Florianópolis, prefeitura informa ter 306 casos de coronavírus, enquanto boletim estadual aponta para 244
    Em Florianópolis, prefeitura informa ter 306 casos de coronavírus, enquanto boletim estadual aponta para 244
    (Foto: )

    Entre os 100 municípios com casos confirmados do novo coronavírus (covid-19) divulgados pelo governo do Estado até esta quarta-feira, 22, pelo menos 48 deles informam ter mais casos do que o relatório estadual. A reportagem fez um levantamento inédito e examinou os boletins divulgados por 92 das 100 prefeituras – as demais não divulgam boletins nos sites, nas redes sociais oficiais ou não responderam aos pedidos – e comparou com o total de casos divulgados pelo governo do Estado para essas mesmas cidades (veja detalhes por cidade na tabela abaixo e busque pelo seu município).

    ​> Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

    No total, são pelo menos 34,1% de casos, ou 371 pacientes, a mais contabilizados pelos municípios em relação ao total por cidade compilado pelo Estado. Enquanto somados os 92 municípios avaliados registram 1.458 casos confirmados, o governo Estadual informou até esta quarta-feira 1087 para essas cidades.

    Apenas nessas 92 prefeituras, há ainda outros 419 casos suspeitos ou aguardando resultados dos exames. Segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira pelo governo do Estado, são 296 os casos em análise. As prefeituras também já divulgam 566 pacientes curados no Estado desde o início do surto (veja detalhes nesta reportagem).

    Nos municípios onde essa disparidade é maior a diferença pode chegar a sete vezes, como em Sangão, no Sul do Estado, onde a prefeitura anunciou ter identificado 14 pacientes com covid-19, mas no boletim estadual ainda há apenas 2. Em Braço do Norte, também no Sul, a diferença é de quase 4 vezes em relação aos dados confirmados pelo Estado.

    :: Inédito: municípios de SC registram pelo menos 566 curados desde o início do surto

    Mesmo nas cidades mais populosas, o número apresenta diferenças significativas. Enquanto o Estado aponta para 33 casos em Tubarão, a prefeitura divulga ter 67. Em Lages, a prefeitura divulga 23 pacientes com covid-19, mas a Secretaria de Estado da Saúde ainda contabiliza 13.

    Em Criciúma são 78 casos informados pelo município, mas o relatório estadual ainda aponta para 46. Mesmo para Florianópolis existe um atraso na contabilização dos casos: a prefeitura registra pelo menos 306, mas o boletim do Estado ainda tem 244. No Vale do Itajaí, Blumenau apresenta 98 pacientes, enquanto a Secretaria da Saúde ainda informa ter 81.

    Em Braço do Norte, dos 107 casos apontados pela prefeitura, 28 tiveram confirmação do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) do Estado, segundo a prefeitura. Mas no relatório mais recente divulgado pela secretaria estadual a cidade ainda figura com 27. Segundo o secretário de Saúde de Braço do Norte, Sergio Arent, os demais casos divulgados pela prefeitura são referentes a resultados obtidos com testes rápidos de laboratórios privados, que não tiveram a confirmação do Lacen:

    – O Estado não está considerando os resultados dos testes rápidos, temos 79 casos confirmados em laboratórios particulares através deles.

    Conforme o secretário, o município decidiu adotar esse controle quando os laboratórios privados passaram a ser autorizados a testar pacientes suspeitos de coronavírus, porque acredita ter mais clareza da situação no município.

    – Inclusive foi baixado um decreto obrigando os laboratórios e clínicas a repassarem as informações no prazo máximo de 4 horas. Nossa intenção foi organizar os trabalhos com as equipes da Secretaria e laboratórios para a correta divulgação dos dados sobre os exames de Covid-19 – justifica Arent.

    Temos algumas explicações que podem resultar nessa diferença de números, mas sempre é importante relatar que os municípios, a partir do momento em que eles têm a positividade de casos dentro de seu território, precisam preencher a notificação deste agravo para que o Estado e o Ministério da Saúde possam receber a informação e quantificar como caso positivo.Helton Zeferino, secretário de Estado da Saúde

    Além de Braço do Norte, pelo menos outros quatro municípios informaram adicionar na soma geral os resultados obtidos por exames feitos em laboratórios privados, que não foram confirmados pelo Lacen: Tubarão (33 casos nessa situação), Gravatal (12), São Ludgero (8) e Armazém (3).

    A Secretaria de Saúde de Florianópolis, que apresenta o maior número de casos em Santa Catarina, também foi procurada para explicar as possíveis razões da disparidade dos números em relação ao boletim estadual, mas não respondeu aos questionamentos.

    Governo admite haver subnotificação e explica diferença dos dados

    O governador Carlos Moisés da Silva reconheceu que há subnotificação dos casos em Santa Catarina, em entrevista coletiva na noite desta quarta-feira, 22. O secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, acrescentou que outros fatores influenciam nessa disparidade. Ele afirma que é necessário averiguar como os municípios estão fazendo a testagem. O uso de testes rápidos, se devidamente homologado pelo Ministério da Saúde, também são considerados, desde que o município notifique o Estado.

    – Temos diversos testes no mercado, alguns estão homologados, outros não. Esse teste pode estar sendo realizado dentro de um laboratório que não está devidamente credenciado também no sistema. Enfim, temos algumas explicações que podem resultar nessa diferença de números, mas sempre é importante relatar que os municípios, a partir do momento em que eles têm a positividade de casos dentro de seu território, eles precisam preencher a notificação deste agravo para que o Estado possa receber essa informação e, inclusive, o Ministério da Saúde também possa receber a informação e quantificar como caso positivo – argumenta Zeferino.

    Conforme o governo do Estado, o Lacen realiza o teste chamado RT PCR em tempo real, considerado o mais preciso para detectar a presença do novo coronavírus, e habilita laboratórios privados que realizam essa mesma meodalidade. O governo diz, ainda, que os outros testes sorológicos, realizados no sangue e que detectam anticorpos, precisam ter registro na Anvisa. "Todos os testes realizados por laboratórios privados ou públicos devem ser notificados no sistema e-SUS VE, do Ministério da Saúde, e enviados ao Lacen de Santa Catarina", informou o governo, em nota, na manhã desta quinta-feira.

    Leia também: Youtube lista 5 temas mais vistos durante isolamento social

    Modelos geram estimativas de subnotificação

    Na terça-feira, o governador Carlos Moisés afirmou que as estimativas feitas a partir dos modelos usados pelo governo indicam a possibilidade de haver subnotificação 8 a 15 vezes superior ao total de casos identificados, pelo fato de não ser possível testar toda a população.

    – Mas as nossas ferramentas não trabalham com notificação, estamos trabalhando de forma reversa, em cima da análise do número de óbitos, que no nosso Estado é muito preciso. Estamos acompanhando tudo o que acontece nos hospitais. Houve falecimento de uma pessoa, há todo o interesse do nosso Laboratório Central e da Secretaria de Saúde de testar se há alguma coisa relacionada à covid-19 e, aguardando alguns dias, por isso que às vezes a plataforma demora, se ela for confirmada, vai para nossa estatística – garante Moisés.

    * Colaboraram Lariane Cagnini e Kadu Reis

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas