nsc
    dc

    Isolamento social

    Coronavírus: o que é lockdown? Entenda a medida e para que ela serve

    Termo define uma forma mais rígida de isolamento

    15/05/2020 - 08h58

    Compartilhe

    Lariane
    Por Lariane Cagnini
    lockdown
    Restrição mais rígida de circulação de pessoas está em adoção em alguns lugares do Brasil
    (Foto: )

    O termo "lockdown", palavra em inglês que significa "confinamento", "bloqueio", tem aparecido com frequência nas conversas e até em falas oficiais quando o assunto é o novo coronavírus. Ele surge como sinônimo quando o assunto é a adoção de medidas ainda mais restritivas de isolamento social, para evitar a disseminação da Covid-19.

    > Em site especial, leia mais sobre o coronavírus

    Até o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, na quinta-feira (13), o Brasil contabilizava 202.918 mil infectados pelo coronavírus, com 13.993 mil mortes confirmadas. O Conselho Nacional de Saúde (CNS) defende um isolamento mais rígido, e enviou no início da semana uma recomendação para Ministério da Saúde, governadores, secretários estaduais de saúde, prefeitos e secretários municipais de saúde sobre o tema.

    O documento recomenda o lockdown imediato em municípios onde existe aceleração de novos casos e com altas taxas ocupação dos serviço de saúde. Também solicita, entre outras medidas, que haja uma fila única para os leitos de UTI nas redes pública e privada, para garantir prioridade no atendimento seja de qualquer doente por Covid-19.

    O CNS orienta que a implantação de medidas devem garantir um distanciamento social de pelo menos 60% da população. Conforme o Índice de Isolamento Social, desenvolvido pela Inloco para monitorar o Covid-19 no Brasil, até esta quarta-feira (13) o estado com maior índice de isolamento era o Amapá, 50,9%. Santa Catarina aparece com 40% no site, e no levantamento do Governo do Estado, com 39% de isolamento, índice 1% menor.

    Conforme a CNS, nos municípios considerados críticos a sugestão é que haja suspensão de todas as atividades não essenciais. No caso de infração, após orientada a população, é possível a aplicação de multa por descumprimento. Também é indicada a restrição da circulação de pessoas e de veículos particulares, com regras a serem definidas. As Forças Armadas e de Segurança devem trabalhar em parceria para monitorar o cumprimento do bloqueio total quando necessário, sugere o Conselho.

    Alguns estados e município já têm utilizado o termo lockdown para explicar medidas mais restritivas de distanciamento social, mas não há uma regra única de como o fechamento total deve ocorrer.

    No Brasil

    Conforme levantamento da Agência Brasil, o Maranhão foi um dos primeiros estados a empregar o termo, e o bloqueio iniciou ainda na semana passada terça-feira. Na Ilha de São Luís foi proibida a circulação, mantidos alguns serviços como mercados, farmácias e circulação de caminhões de carga.

    No Pará, o confinamento passou a valer na capital Belém e em outras nove cidades na quarta-feira (6) e durará até o dia 17 deste mês. A população foi orientada a somente sair de casa para serviços essenciais. Quem estiver na rua e não consiga comprovar a necessidade, pode receber advertência ou até multas, de R$ 150 para pessoas físicas e até R$ 50 mil para empresas.

    No Ceará, o governo decretou o isolamento social rígido na capital Fortaleza, que teve início na sexta-feira (8) e irá até o dia 20 deste mês. Foram montados bloqueios para restringir a circulação em vias da cidade. As forças de segurança atuam para evitar aglomerações.

    Conforme a Agência Brasil, no Rio de Janeiro, a Câmara de Vereadores de Niterói aprovou o lockdown desde a última segunda-feira (11). Quem estiver nas ruas, praias e praças públicas poderá ser multado. Manterão o direito de sair às ruas os profissionais de atividades essenciais ou quem for adquirir produtos ou serviços relacionados à elas, como compras em supermercados ou farmácias.

    A partir desta segunda-feira (11), Pernambuco também ampliou as regras de isolamento em Recife e outras cidades da região metropolitana. Rodízio de veículos, fiscalização nos principais corredores viários e outras medidas foram adotadas.

    Pesquisas pelo mundo

    Segundo informações da Agência Brasil, um estudo lançado na semana passada por mais de 60 pesquisadores do Imperial College de Londres apontou o lockdown obrigatório como uma medida "que se provou efetiva na contenção da difusão do vírus". O centro de estudos e pesquisas sobre saúde analisou o caso brasileiro a partir de medidas adotadas em 16 estados no país, e projetaram que "na falta de intervenções mais fortes, um crescimento substancial futuro da epidemia é esperado [...], levando a uma piora da crise de saúde do Covid-19".

    Outro estudo do Imperial College mapeou práticas de lockdown em diversos países como Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Noruega, Espanha, Suíça e Reino Unido. Os autores classificam o lockdown como "legislações ou regulações relativas à restrição de interação face-a-face, incluindo o banimento de eventos não essenciais, fechamento de escolas e espaços culturais e ordens para que pessoas permaneçam em casa".

    * Com informações da Agência Brasil

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas