A maior cidade do Alto Vale do Itajaí, Rio do Sul, e outros municípios da região correm risco de enfrentar uma nova enchente entre esta terça e quarta-feira (28 e 29). Blumenau também deve registrar elevação do Rio Itajaí-Açu que pode atingir até 8 metros — o que, se confirmar, configura a sétima cheia de 2023. É isso que diz o alerta emitido pela Defesa Civil do Estado nesta segunda (27).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

A previsão é de chuva intensa até quarta-feira, com acumulados que podem chegar a 200 milímetros em parte do Médio e Baixo Vale e até 130 milímetros no Alto Vale. Diante desse cenário, a Defesa Civil projeta que o Itajaí-Açu deve alcançar de 6,5 metros a 8 metros em Rio do Sul, de 3 a 4 metros em Trombudo Central, de 6,5 a 8,5 metros em Taió, de 5 a 6 metros em Ituporanga e até 8 metros em Blumenau.

Em Rio do Sul, as primeiras ruas ficam inundadas quando a altura do rio atinge 6,5 metros. Em Taió e Blumenau a enchente começa em 8 metros. Na maior cidade do Vale, a previsão do AlertaBlu indica que a chuva continuará ao longo desta noite, com risco de momentos com temporais isolados de curta duração.

A chuva ganha força em diversas regiões, incluindo o Vale, entre a noite desta segunda e madrugada de terça, reforça a Defesa Civil. “O risco é alto para ocorrências associadas aos temporais e chuva intensa, como alagamentos, enxurradas e deslizamentos. Os temporais também podem provocar danos à rede elétrica, destelhamentos, queda de galhos e árvores. A chuva persiste até às primeiras horas de quarta-feira (29)”, complementa o comunicado.

Continua depois da publicidade

Enchente em Rio do Sul

Rio do Sul, que sofreu com a segunda maior enchente da história da cidade na semana passada, pode ter a sétima cheia do ano nesta semana. O pico foi de 13,04 metros no último dia 18, superando apenas o registrado em 1983, quando o rio chegou a 13,58 metros.

Ao todo, estima a prefeitura, ao menos 6,5 mil imóveis foram atingidos e 18,8 mil pessoas ficaram desalojadas. Em outubro, um levantamento do município mostrou que os prejuízos de cidadãos e empresas com as chuvas somavam R$ 157 milhões.

Com a previsão de mais precipitação até quarta, a prefeitura pede que moradores que vivem em ruas cuja cota de enchente é de até 9 metros já deixem os imóveis. As barragens de Taió e José Boiteux estão com as comportas fechadas. A de Ituporanga tinha apenas uma aberta na tarde desta quarta, que é a que está com defeito.

Veja fotos de Rio do Sul na semana passada

Alto Vale em alerta

Tanto Taió quanto Rio do Sul decretaram situação de calamidade pública por conta das enchentes no mês passado. Taió viveu a pior cheia da história, com a altura do rio na casa dos 12 metros. Com isso, praticamente todas as ruas da cidade ficaram alagadas.

Continua depois da publicidade

Neste mês, a cidade voltou a ser castigada pelas chuvas e duas pessoas morreram.

Trombudo Central também enfrentou a pior enchente da história em novembro e decretou calamidade pública. Dos sete mil moradores, cerca de três mil foram afetados pela inundação. Além das dezenas de casas alagadas, ao menos 40 foram condenadas pela Defesa Civil e as famílias não podem mais retornar. Isso porque algumas delas chegaram a ser arrastadas pela força da água.

Outras tiveram as paredes arrancadas. O bairro Liberdade foi o mais atingido, onde duas creches da prefeitura perderam tudo o que havia dentro. A prefeitura estima que aproximadamente 90% dos imóveis em Trombudo Central foram afetados. O pico no rio Trombudo foi de 8,71 metros.

Enchentes em Blumenau

A possibilidade de uma elevação significativa do Rio Itajaí-Açu em Blumenau ocorre no mesmo dia em que o nível, pela primeira vez após 54 dias, voltou ao normal na cidade (abaixo dos 3 metros). Se a projeção se confirmar, a cidade pode ter a sétima enchente do ano.

Leia mais

Barragens de contenção de enchentes no Vale do Itajaí passam a ser gerenciadas pela Celesc

Destaques do NSC Total