nsc
an

Luto

"Deus levou minha vida pra sempre", diz mãe de menina de 5 anos morta em acidente em SC

Alícia estava em um carro junto da família quando o veículo foi atingido de frente por outro que invadiu a contramão

20/12/2021 - 14h15 - Atualizada em: 20/12/2021 - 17h02

Compartilhe

Sabrina
Por Sabrina Quariniri
Alícia foi tirada dos braços da mãe para ser levado ao hospital, mas não resistiu
Alícia foi tirada dos braços da mãe para ser levado ao hospital, mas não resistiu
(Foto: )

Foi identificada como Alicia Bindemann Carini, de cinco anos, a menina que morreu vítima de um acidente de trânsito em Rio Negrinho, no Planalto Norte de SC. A criança estava em um carro junto da família quando o veículo foi atingido de frente por outro que invadiu a contramão. Ela foi resgatada ainda com vida e encaminhada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. 

> ​Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Dezesseis horas após o trágico acidente, pelas redes sociais, Michelle Bindemann, de 39 anos, mãe da menina, se manifestou sobre a morte da filha, que foi retirada de seus braços pelos bombeiros, bastante ferida, para ser levada para atendimento. 

Segundo Michelle contou à reportagem do AN, a família viajava de Joinville em direção a um resort em Itá para comemorar o aniversário de 70 anos da avó de Alícia quando o motorista do Punto invadiu a pista contrária. 

— Deus levou minha vida embora pra sempre. Um carro invadiu nossa pista, onde viajávamos felizes e com pouca velocidade... e agora tudo acabou. Minha filha, eu só quero ir junto contigo. Você era a minha vida. Sempre vai ser — escreveu Michelle. 

Michelle é jornalista e estava no carro com o noivo e padrastro de Alicia, Gustavo Lopes de Souza, e Gabriel, de 10, filho do noivo. Gustavo ficou preso às ferragens e precisou ser desencarcerado. Ele recebeu alta nesta segunda-feira (20). 

O menino Gabriel relatou dor na altura do quadril, em virtude do cinto de segurança, e também precisou ir ao hospital, mas já foi liberado, segundo a madrasta. Ainda conforme Michelle, a menina estava na cadeirinha no momento da batida. A mãe, que foi junto com a menina ao hospital, não se feriu gravemente. 

Ainda segundo a mãe, inicialmente, a menina viajaria no carro dos avós, que seguia logo atrás, mas como começou a sentir enjoos, foi no carro com ela, junto do padrasto e do filho do homem, enquanto seu irmão mais novo, de 3 anos, foi em seu lugar no veículo dos pais de Michelle. 

— No carro de trás, viram todo o acidente — conta. 

Desespero 

Logo após a batida, Michelle conta que correu desprender a filha da cadeirinha e, como a menina estava com bastante sangramento, principalmente na região da cabeça, tentou estancar com um lençol. 

E, assim que os socorristas chegaram, com a filha nos braços, pediu para que priorizassem atendimento à menina, que foi a primeira a deixar a cena do acidente, na companhia da mãe. 

Já no hospital, Michelle lembra que desceu da ambulância e, ali, foi a última vez que viu a filha com vida. Ela conta que Alícia era uma menina forte, alegre, engraçada e carinhosa e, dez minutos antes do acidente, disse que faria uma oração e começou a cantar uma música religiosa. 

Michelle, que não suportava ver a menina com febre, não sabe como voltará para casa, para o trabalho. Não sabe como voltará a sorrir novamente sem sua pequena Alícia. 

— Esses dias me perguntou "Mamãe, o que você mais gosta de fazer?" Eu respondi: "Não sei, filha. Talvez ir a praia. Por quê?". E ela: "O que eu mais gosto é de pegar no teu pescoço". Ela sempre apertava meu pescoço pra dormir, quando estava com medo ou triste. Alícia era minha vida. E eu a dela. Tenho medo que ela esteja pedindo por mim onde estiver. Como ela sempre fez — diz a mãe.  

Motorista bêbado

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista responsável por provocar o acidente que matou Alicia de cinco anos, em Rio Negrinho, na manhã de domingo (19), estava bêbado. Oito horas após a colisão, o homem fez o teste do bafômetro e o resultado ainda deu positivo para a presença de álcool no organismo. 

Segundo relato dos bombeiros, no Punto estavam quatro homens que teriam saído de uma festa e voltavam para casa, em São Bento no Sul, quando o condutor perdeu o controle do carro e invadiu a pista contrária, onde bateu de frente com a Ecosport que estava a família de Michelle. 

Um dos passageiros do Punto, que estava no banco de trás, foi resgatado inconsciente. Os outros três não se feriram com gravidade. O acidente ocorreu por volta das 6h, na altura do Km 134. 

As oito pessoas envolvidas no acidente precisaram de atendimento médico. O Punto ainda teria batido de raspão no retrovisor de um Cruze. Nele estavam os avós da menina morta e o irmão mais novo da vítima, segundo os socorristas. Neste veículo, ninguém se machucou.

Alícia foi velada e enterrada na manhã desta segunda-feira, no Cemitério Jardim das Flores, em Joinville. A cerimônia foi acompanhada pelos familiares. 

— Eu planejei viver com ela até os meus 90 anos. Eu queria tanto ver ela crescer e se tornar uma mulher forte e bondosa. Eu sempre disse pra ela, desde que nasceu, que estaria com ela pra sempre, o resto da minha vida... E agora eu vivo para esperar a hora de encontra-la novamente — finaliza. 

Alícia tinha 5 anos e morreu após o veículo que estava ser atingido por outro carro
Alícia tinha 5 anos e morreu após o veículo que estava ser atingido por outro carro
(Foto: )

Leia também

> Médico é indiciado por morte de bebê em Jaraguá do Sul

> Jovem é assassinada a tiros no meio da rua em Joinville

> IGP conclui laudo sobre a queda de calçada na abertura de Natal em Joinville

Colunistas