A pouco mais de uma semana da votação que vai escolher o novo presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), as movimentações ganham força entre os deputados que assumirão o mandato na primeira sessão do ano, em 1º de fevereiro. Até o momento, dois nomes seguem na disputa: Mauro de Nadal (MDB) e Zé Milton Scheffer (PP). O emedebista, que foi presidente da Alesc em 2021, é apontado como favorito para comandar o Legislativo nos próximos dois anos por ter obtido apoio de um bloco de partidos. No entanto, enfrenta o deputado do PP, que conta com o apoio de aliados do governador Jorginho Mello (PL).

Continua depois da publicidade

Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Nadal tenta viabilizar a candidatura desde o fim do ano passado, ao mesmo tempo em que o partido, dono da segunda maior bancada na Alesc, com seis deputados eleitos, tenta negociar a participação no governo de Jorginho, cuja legenda tem o maior número de parlamentares (11).

Mauro de Nadal (MDB) é apontado como favorito

O PL, partido do governador, no entanto, anunciou, também no fim do ano passado, o apoio à pré-candidatura do deputado Zé Milton, ex-líder do governo Moisés na Alesc, que também tenta viabilizar a candidatura. Além do PP e do PL, ele teria apoio de alguns descontentes do bloco de está com MDB e diz conversar com outras cinco legendas.

PGR denuncia mais 54 golpistas e quer medidas alternativas à prisão

Continua depois da publicidade

— Temos nos colocado como uma alternativa política na gestão da Casa, no sentido de alternância de poder. Já que ela é uma Casa plural, nada mais justo do que alternar as siglas no comando — defende Scheffer.

Após o movimento do partido do governador, o MDB teria conseguido reunir as demais legendas da Casa, formando um superbloco com mais de 20 deputados que apoiariam o nome de Nadal para presidir a Casa, formada por 40 parlamentares. Com o impasse, a definição sobre o nome favorito se prolongou nas últimas semanas.

Deputado José Milton Scheffer (Foto: Fábio Queiroz/Agência AL)

Jorginho reúne Poderes para expor “situação fora da curva” nas contas de SC

O presidente do MDB de SC, Carlos Chiodini, diz que Nadal tem feito a articulação com as bancadas e se diz “confiante”. Segundo ele, a mesa diretora não tem entrado nas negociações do partido para ocupar espaços no secretariado do governo Jorginho.

Continua depois da publicidade

Entre os deputados, a principal fala é de que a escolha precisaria ser uma decisão de consenso na Casa. O deputado Ivan Naatz, articulador do governo Jorginho, publicou um tuíte neste domingo (22) em que diz que o MDB é um “grande partido” e “importante para o governo”, mas que teria que “ajudar a buscar o consenso”.

Alice Kuerten toma posse como secretária da Ação Social e se compromete com pequenos municípios de SC

Deputados apoiadores de Jorginho dão sinais de que não há interesse em uma disputa de chapas.

— Nem Mauro, nem Zé têm os votos suficientes para vencer. Estamos buscando o diálogo e o consenso. A Alesc não pode entrar em rota de colisão entre si — afirma.

Em meio a essa tentativa de uma escolha que agrade a todos, não é descartado nem mesmo o nome do deputado reeleito Júlio Garcia (PSD), que já presidiu a Casa de 2019 a 2020.

Continua depois da publicidade

Jorginho volta atrás e muda presidente do IMA, órgão que avalia balneabilidade de SC

A expectativa é de que a escolha do novo presidente possa ter novidades ainda nesta semana. O governador Jorginho se reúne com secretários de governo e com deputados estaduais do PL na manhã desta terça-feira (24). À tarde, às 14h, a bancada se reúne novamente, desta vez para discutir especificamente qual caminho o partido vai tomar na eleição da mesa diretora da Alesc. Já o MDB reúne a bancada na quinta-feira (26), também para atualizar a direção do partido sobre as negociações pela presidência da Casa.

A primeira sessão do ano, em que ocorre a votação para a presidência da Alesc, ocorre em 1º de fevereiro, às 9h.

Alesc abre concurso para cargos com salário de R$ 11,6 mil

Destaques do NSC Total