nsc
an

alta procura

Em quatro anos, número de animais resgatados cresce mais de 450% em Jaraguá do Sul

Diante da alta procura, Fujama divulgou levantamento para contabilizar os registros de resgate

14/01/2022 - 15h51 - Atualizada em: 14/01/2022 - 17h04

Compartilhe

Marcelo
Por Marcelo Henrique
Animais resgatados
Gato-maracajá ameaçado de extinção foi um animais encontrados
(Foto: )

A Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) divulgou uma pesquisa que mostra que de 2017 para 2021, o número de animais silvestres resgatados aumentou 474%. Só no ano passado, a Fujama realizou 672 resgates, entre eles estavam: 217 mamíferos, 97 aves, 348 répteis e 10 invertebrados.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Segundo o biólogo da Fujama, Gilberto Adhemar Duwe, os números representam a interação da comunidade jaraguaense com o órgão ambiental, o que facilita a forma com que os animais são tratados ao serem encontrados.

- Um exemplo disso são as cobras. Sempre houve serpentes na cidade, algo que fica evidente em dias mais quentes. Só que antes as pessoas encontravam o animal e o matavam. Hoje, elas acionam a Fujama e os Bombeiros para buscá-lo - comenta.

Em 2021, as serpentes foram os animais mais encontrados, representando um total de 46% dos resgates. Apesar do susto, apenas 30% das cobras eram peçonhentas. Entre os mamíferos, os gambás estão no topo da lista de resgate.

Espécimes raros também marcaram presença na cidade, como: filhote de lontra, gato-maracajá, tamanduás-mirim e até porco-espinho. Durante o inverno, os casos de corujas que se chocaram contra vidraças ou veículos também movimentaram as equipes de biólogos da Fujama.

Além do clima da cidade influenciar no surgimento dos animais, outro fator importante é a localização do município. Duwe explica que 40% do território de Jaraguá do Sul ainda é composto por vegetação de Mata Atlântica.

Veja as fotos dos animais resgatados:

Filhote de cervo é um dos primeiros animais resgatados em 2022

Assim como foi no ano passado, a invasão de bichos não para em Jaraguá do Sul. Um filhote de cervo foi visto no pasto de uma propriedade rural do bairro Garibaldi na tarde desta quinta-feira (13). Após receber o filhote em casa pelos vizinhos, uma esposa de um policial militar acionou a Fujama para o resgate.

O filhote é muito pequeno e o umbigo ainda está em processo de cicatrização. Segundo o biólogo da Fujama, Christian Raboch, o cervinho precisa passar por cuidados na clínica de Jaraguá do Sul, lá ele vai permanecer até se desenvolver. Depois, o filhote será transferido para um centro de triagem em Florianópolis.

Cervinho
Filhote de cervo ainda mama e está com umbigo cicatrizando
(Foto: )

Segundo Raboch, uma das explicações para o aparecimento do animal foi o abandono dos pais diante do provável perigo da situação.

- Talvez, pelo barulho de máquinas agrícolas ou mesmo de pessoas por perto, os pais fugiram para o mato deixando o filhote para trás, escondido, que é uma estratégia para despistar eventuais predadores - explica.

Filhote de macaco-prego também foi encontrado

A semana foi marcada por mais uma descoberta em Jaraguá do Sul. Um filhote de macaco-prego foi resgatado na última segunda-feira (10), no bairro Ilha da Figueira. O animalzinho foi encontrado por moradores próximo da região conhecida Toca da Caninana e levado pela Fujama.

Macaquinho
Filhote de macaco-prego foi encontrado molhado e sujo de lama
(Foto: )

Ele estava molhado e sujo de lama, além de apresentar sinais de infestação de moscas varejeiras. Depois de resgatado, o macaquinho recebeu todo o atendimento veterinário necessário e está em observação.

*Sob supervisão de Lucas Paraizo

Leia também:

Servidor com suspeita de Covid recusa teste, vai trabalhar e causa confusão em Guaramirim

Femusc 2022 celebra cultura brasileira e resgata obras de outras épocas em Jaraguá do Sul

Monsenhor Gercino é a rua de Joinville com mais acidentes de trânsito em 2021; veja lista

Colunistas