A prefeitura de Blumenau decretou situação de emergência em saúde pública. O motivo, segundo a administração municipal, é a alta de casos de síndrome respiratória e também os índices elevados de ocupação das UTIs. O documento é datado de 15 de maio e tem validade de 180 dias. Conforme o texto, nesse período o município pode contratar pessoal para ações de enfrentamento à doença, independente de processo seletivo, e ainda fazer aquisições com dispensa de licitação.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

O documento frisa, ainda, que os hospitais precisam se organizar para haver disponibilidade de leitos clínicos e de terapia intensiva para o tratamento de pacientes com síndrome respiratória aguda. Em nota, a prefeitura também recomendou o uso contínuo de máscaras de proteção facial em todos os pontos de assistência ao paciente nos serviços de saúde. Para aqueles com sintomas gripais essa passa a ser uma exigência, de acordo com a publicação do município.

Segundo a Secretaria de Saúde de Blumenau, o número de casos de síndrome respiratória aguda cresceu esse ano 775% em comparação com a média de 2013 a 2019. O reflexo é direto nos hospitais. O painel do governo de Santa Catarina, atualizado na sexta-feira (17) à noite, mostra 100% de ocupação dos leitos de UTI adulto no Médio Vale do Itajaí, 91,2% de ocupação das vagas para recém-nascidos e 83,3% para crianças. Em todo o Estado, eram apenas 66 leitos de UTI disponíveis englobando todas as idades.

Criança à espera de transplante passa por hemodiálise e vira marco inédito na Renal Vida

Continua depois da publicidade

Vacinação

A prefeitura reforçou que a vacinação é a principal medida de prevenção e reforçou que elas são seguras e eficazes, e podem ajudar a proteger contra as formas mais graves das doenças, que podem levar a hospitalização e até óbitos. A imunização também contribui para a redução da circulação viral na população, protegendo especialmente as pessoas que apresentam fatores ou condições de risco.

A vacina contra influenza está liberada a partir dos seis meses de idade. O imunizante é o trivalente, que protege contra a influenza A (H1N1 e H3N2) e o vírus influenza B.

Contra a Covid-19, a vacina está sendo aplicada sem a necessidade de agendamento somente nos grupos prioritários. No caso da vacina bivalente, a aplicação acontece em pessoas com mais de 18 anos. Para as pessoas com 60 anos ou mais e imunocomprometidos acima de 12 anos de idade, que tenham recebido a última dose da vacina há mais de seis meses, é indicado a aplicação da segunda dose da vacina bivalente contra a Covid-19.

As vacinas contra a gripe e a Covid-19 estão disponíveis nas unidades de saúde com sala de vacina ativa.

Continua depois da publicidade

Leia mais

Bilhete enviado por casal de Indaial com doações comove gaúchos: “Aqueça além do corpo”

Gigante do e-commerce em SC sofre nova derrota judicial e vê volume de multas aumentar

Destaques do NSC Total