nsc
nsc

SantaCred

Entenda os motivos por que um empréstimo pode ser negado 

Falta de comprovação de renda e nome sujo são alguns dos motivos que impedem o empréstimo, mas não são os únicos 

24/12/2020 - 09h07

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Entenda os motivos por que um empréstimo pode ser negado
(Foto: )

A situação econômica do país é um dos pontos que influencia na restrição ao crédito. A expectativa de inadimplência e a taxa de desemprego são fatores levados em conta por bancos e outras instituições financeiras na hora de conceder empréstimos, mesmo para bons clientes. Ter um comprovante de renda, veículo ou imóvel como garantia, ou ter bons hábitos de pagamento no Cadastro Positivo ajudam. Mas, ainda que o Brasil esteja com taxas de juros em níveis historicamente baixos, alguns problemas pontuais podem fazer você “perder pontos” na hora de solicitar um valor e ter o empréstimo negado.

>> Leia mais: Entenda os tipos de empréstimos que você precisa conhecer para sair da dívida

Primeiro, o nome limpo

O banco ou outra instituição vai fazer uma análise de crédito antes de fornecer qualquer recurso. A maior parte dos empréstimos é concedida apenas para pessoas sem dívidas ativas, sem nome sujo, como é usualmente chamado. A solução seria regularizar a situação e limpar o nome. O Boa Vista SCPC, Serasa e SPC Brasil oferecem ferramentas para o consumidor consultar o CPF. Lembrando que seu nome não pode ficar sujo por mais de cinco anos.

Se houve alguma pendência no seu nome, as chances de conseguir um empréstimo diminuem, mas essa restrição não vale para todas as instituições. Na SantaCred, por exemplo, não é preciso estar com nome limpo para solicitar o recurso necessário no momento. O procedimento é 100% digital e as parcelas cabem no seu bolso, pois o prazo de pagamento chega a 36 meses.

Em outras instituições, não é porque você tem o nome limpo que vai conseguir, com certeza, o valor para a concessão de um empréstimo. Outras situações atrapalham as chances do cliente na hora de fazer o pedido, como informações pessoais erradas, histórico de crédito, falta de comprovante da capacidade de pagamento e idade.

Dados incorretos

As instituições financeiras checam se as informações concedidas pelo solicitante são corretas e se estão atualizadas. Você deve preencher o cadastro com cuidado e atento a todos os itens para evitar que seu pedido seja recusado. Na hora da entrega, revise.

Se você já tinha um cadastro, mas mudou de endereço ou de telefone, faça a atualização do cadastro para evitar inconsistências no sistema. E, em hipótese nenhuma, utilize os dados de terceiros. O envio de documentos inelegíveis também é um fator prejudicial.

Histórico e Score

Se você já é cliente da instituição e bom pagador, as chances de conseguir um empréstimo aumentam. Os hábitos passados são uma pista para a instituição de como será seu comportamento no futuro. Um cliente que está sempre inadimplente, com contas em atraso, oferece um risco maior de não honrar com os pagamentos na data correta. Muitos clientes atrasam o pagamento, mas não por tempo suficiente para ficar com nome sujo.

Para concessão de crédito, as instituições olham o “score”, ou a contagem de pontos do consumidor, que vai de zero a mil. Ele é um medidor do hábito financeiro. A pontuação aumenta ou diminui conforme o consumidor faz os pagamentos de suas contas. Acima de 700 pontos é um nível adequado para bons pagadores. Abaixo de 300, é maior o risco de inadimplência, ou o não pagamento das contas.

O Score vai refletir o histórico, o que facilita a tomada de decisão se a pessoa que vier solicitar o empréstimo não for um cliente antigo da instituição. O Cadastro Positivo é uma oportunidade de mostrar bons hábitos de pagamento ao mercado. Ele é utilizado em mais de 70 países e apresenta um histórico do consumidor com contas antigas e compromissos em andamento.

Você pode encontrar formas de aumentar o score para melhorar as chances na hora de pedir um empréstimo ou conseguir taxas e prazos mais favoráveis, além de melhores condições de financiamento com bancos e instituições financeiras. O seu comportamento mensal afeta o nível dos pontos, se paga as contas em dia, ou parcela a fatura do cartão, por exemplo. Recorrer muito ao cheque especial ou pagar o mínimo da fatura de cartão de crédito são indicadores de que o consumidor está com dificuldades para honrar os pagamentos. Para acessar seu score, clique aqui.

Capacidade e comprovante de pagamento

Para pedir um empréstimo, as instituições vão querer uma garantia de que você vai honrar com seus compromissos na hora do pagamento. Um comprovante de renda, que indique uma relação formal e sólida de emprego, facilita no processo. É possível que empreendedores autônomos tenham mais problemas nessa hora. Também é importante que a parcela não comprometa muito mais do que 15% até 20% da sua renda mensal.

A economista da JB3 Investimentos Malu Spricio explica que a capacidade de pagamento também interfere, pois a instituição analisa se é possível honrar os pagamentos corretamente. “Não adianta ganhar R$ 3 mil reais e tentar pedir um empréstimo de R$80mil. É importante que as parcelas não sejam muito mais do que uns R$500 pra não comprometer o restante das despesas” exemplifica.

Motivação da negativa deve ser informada ao consumidor

As instituições têm o direito de negar o empréstimo, mesmo com nome limpo do consumidor. Se você teve a solicitação de crédito negada, a instituição deve fornecer a você uma resposta transparente sobre os motivos que interferem nessa escolha. Você pode pedir um esclarecimento formal por escrito, conforme prevê o Código de Defesa do Consumidor.

Antes de solicitar um empréstimo, saiba como evitar cair em fraudes e conseguir dinheiro de forma segura.

E se você procura crédito de forma rápida e segura, sem burocracias, procure a SantaCred.

Colunistas