nsc
an

Luto

Ex-jogador de basquete morre uma semana após receber alta de Covid-19 em Joinville

Guilherme Toaldo jogou em diversos times dentro e fora do Brasil e, atualmente, fazia parte da Liga Joinvilense de Futebol

14/08/2020 - 14h53 - Atualizada em: 14/08/2020 - 14h56

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
O ex-atleta Guilherme morreu aos 52 anos
O ex-atleta Guilherme morreu aos 52 anos
(Foto: )

O ex-jogador de basquete Guilherme Toaldo, 52 anos, morreu na noite da última quinta-feira (13) em um hospital particular de Joinville. Uma semana antes, ele havia recebido alta hospitalar após permanecer internado na UTI da mesma unidade por 34 dias, período pelo qual lutou contra o diagnóstico positivo de coronavírus

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia

Guilherme teve complicações em razão de outros problemas de saúde e, segundo o amigo Sandro Luiz de Oliveira, ele teve cerca de 80% do pulmão comprometido pelo vírus. No entanto, na quinta-feira da última semana, quando ganhou alta, ele foi para a casa da mãe para receber cuidados, já que morava sozinho e precisaria de suporte. 

O amigo conta que Guilherme ainda estava debilitado, em processo lento de recuperação. Na última segunda-feira (10), o ex-atleta começou a se queixar de dores pelo corpo e precisou ser internado dois dias depois. Dessa vez, Guilherme teve de ser entubado na UTI, e não estava correspondendo aos procedimentos médicos. 

> Joinville chega a 192 mortes de moradores com Covid-19

Durante a tarde da última quinta, os familiares receberam dos médicos a notícia de que ele não teria muito tempo de vida, uma vez que estava passando por falência gradual dos órgãos decorrente de uma inflamação generalizada. O óbito de Guilherme foi confirmado por volta das 23 horas. 

Em agradecimento aos familiares, amigos e profissionais do hospital onde permaneceu internado, Guilherme havia publicado em suas redes sociais no dia 7 de agosto que estava em casa e que se recuperava lentamente. 

> MP quer explicações em Joinville sobre as novas medidas envolvendo coronavírus

- Amigos, o que falar? Choro contido (a gente vai ficando velho e não segura mais emoções) que não foram poucas. (...) Este 'bilete' é mais para informá-los que estou em processo lento de recuperação, mas em casa. (...) Agora posso dizer: eu venci o Covid-19 - registrou na publicação.

Trajetória de atleta iniciou em Joinville

Guilherme era natural de Maringá, município do Paraná, mas morava desde criança em Joinville. Foi na cidade catarinense que ele deu início à trajetória de atleta, ainda na adolescência. Guilherme jogou profissionalmente em diversos times, como em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e até mesmo nos Estados Unidos. Nos últimos anos, ele era membro do quadro de arbitragem da Liga Joinvilense de Futebol, onde atuava como delegado. Além disso, Guilherme também trabalhava como corretor de seguros. 

> Agendamento para tratamento precoce em Joinville, inclusive com cloroquina, inicia sábado

-Hoje o dia amanheceu mais triste. O "grandon", apelido carinhoso como era chamado por seus amigos de arbitragem, deixou enlutados seu pai Ivan, sua mãe Dunia, suas irmãs, Lorena e Mônica - escreveu a página da LJF em nota de pesar publicada em uma rede social.

Aos amigos, ele será lembrado como "um cara de bem com a vida", ativo e de grandiosa amizade. 

- É uma perda muito grande, para mim, para os amigos, para a família. Era uma pessoa incrível, não tinha problemas com ninguém. Ele deixa sua história rica, de honestidade, de um cara de bem com a vida - lamenta o amigo Sandro. 

> ​Multa para quem não ficar em isolamento quando contrair Covid-19 em Joinville chegará a R$ 6 mil

Colunistas