nsc
hora_de_sc

RELACIONAMENTO 

Falando de Sexo: devo ou não devo falar palavras picantes na cama?

Colunistas Lúcia Pesca e Andréa Alves tiram dúvidas de leitores.

09/09/2019 - 13h05 - Atualizada em: 09/09/2019 - 15h51

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
(Foto: )

* O meu namorado quer que eu fale mais durante o sexo e, na hora H, prefere que eu demonstre com gemidos, que eu fale que estou gozando. Mas é superdifícil para mim. Ele fala umas coisas que, na maioria das vezes, me deixam envergonhada. É importante que a mulher fale durante a relação?

Amiga, que bom que encontrou alguém que demonstra gostar também de você. Sim, porque quando um homem pede que a sua companheira demonstre verbalmente que chegou ao orgasmo é porque ele se importa com a sua satisfação.

A educação das mulheres, em geral, foi a de que quem geme, grita ou demonstra claramente que está tendo prazer na cama não era bem vista pelos homens. Acontece que se não tivermos um comportamento que mostre o que estamos sentindo sexualmente fica muito difícil para o homem compreender.

Outro fator importante é que já está comprovado através de pesquisas que as mulheres se excitam mais em ouvir sua própria voz do que a do parceiro durante o sexo. Então, não reprima. Agora é importante que você tente fazer isso (gemer, falar, gritar) para aumentar o seu prazer e excitação e depois por causa de seu parceiro. Quanto a falar palavrões, a regra é de que se é bom para os dois não há problemas. Como você mesmo disse fica envergonhada, mas as vezes gosta, isto mostra que no fundo o que a impede de curtir mais os “palavrões” é a sua inibição vinda principalmente da educação. Mulheres gostam sim de ouvir palavras picantes e mais “hard” na cama. Porém com os homens a coisa é mais complicada. Se você pensa em usar um vocabulário mais pesado na hora H isso deve ser conversado, questionado e até negociado fora da cama. Os homens correm o risco de se bloquearem e podem perder a ereção.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas