nsc
dc

publicidade

Brasileiro

Figueirense empata com o CRB e se livra do rebaixamento na Série B 2019 

Igualdade mantém Figueira na segunda divisão e decreta ida à Série C de Criciúma, Londrina, São Bento e Vila Nova

22/11/2019 - 22h11

Compartilhe

João Lucas
Por João Lucas Cardoso
CRB 0 x 0 Figueirense: Figueira se mantém na Série B
CRB 0 x 0 Figueirense: Figueira se mantém na Série B
(Foto: )

O Figueirense empatou e CRB e garantiu a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro. O resultado na noite desta sexta-feira, no Rei Pelé, serviu para que o Figueira conseguisse continuar na segunda divisão nacional. O time alagoano praticamente se despede de tentar entrar no G4 com o placar.

O Figueirense que chegou a ter 93,5% de chance de rebaixamento no decorrer da competição, passar quase um turno todo dentro do Z4, estar na lanterna por seis rodadas seguidas, escapou da degola com uma rodada de antecedência. De quebra, decretou o rebaixamento dos quatro times na Série B: Criciúma, Londrina, São Bento e Vila Nova

Na última rodada da Série B 2019, Figueirense e CRB jogam às 16h30min de sábado. O Figueira vai receber o Operário no Orlando Scarpelli, enquanto os alagoanos encaram o Bragantino no Nabi Abi Chedid.

O jogo

Sem pressa, sem velocidade, sem intensidade e sem finalização. Apenas bola de um lado para o outro. O empate contentava. O resultado de início dava ao Figueirense o que queria: a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro. Ciente de que alcançar o acesso era quase impossível, o CRB entrou em campo, aparentemente, para cumprir tabela. Somente aos 17 apareceu a primeira tentativa de gol, e ela foi alvinegra.

Em cobrança de falta frontal, Fellipe Mateus rolou de lado para a pancada de Tony. Edson rebateu para longe. O lance animou o Figueirense, que passou buscar o gol. Aos 24, a equipe assustou novamente com a bola parada. A falta alçada na área teve a cabeçada de Rafael Marques e a boa defesa do goleiro regatiano. Mas o lance foi invalidado e o impedimento marcado.

O CRB se incomodou, acordou e botou pressão. Aos 28, o lateral Bryan soltou o canudo que carimbou o travessão e deixou a trave alvinegra balançando. O Figueira tentou ao menos retribuir seis minutos depois. Breno soltou bomba de fora da área e Edson novamente espalmou para fora. A partida ficou equilibrada e o placar refletiu: 0 a 0 no primeiro tempo.

CRB e Figueirense voltaram do intervalo sem alterações. Como no primeiro tempo, transcorreram alguns minutos até um lance de perigo. Foi dos donos da casa. Aos 12, Élton arriscou de longe e, encoberto, Pegorari foi safo pela trave. Na sequência, o Figueira mexeu. Entrou Robertinho e saiu Victor Guilherme. Fôlego ofensivo renovado para tentar fazer o time jogar.

Mas o Figueirense não conseguia chegar com força na frente. Os regatianos chegavam. Como aos 21, em chute cruzado de Élton que passou próximo da trave de Pegorari. Então, enfim, o Figueira teve a primeira chance no segundo tempo. Novamente em bola parada, Tony botou falta lateral na área e Alemão subiu mais que todo e botou no ângulo. Edson saltou para desviar, tocar na trave e sair.

Como o empate bastava, e com mais de 30 minutos passados, o técnico Pintado reforçou a marcação do Figueirense. Saiu o atacante Breno e entrou o zagueiro Héliton. Nos instantes finais, o Figueira fez a última troca, com a entrada de Andrigo na vaga de Rafael Marques. O árbitro ainda deu oito minutos de acréscimos. O banco do Figueira passou os últimos minutos todo de pé pedindo o fim da partida, até o apito final. Alívio alvinegro.

CRB 0 x 0 Figueirense

CRB

Edson Mardden (Fernando Henrique); Daniel Borges, Wellington Carvalho, Ewerton Páscoa e Bryan; Claudinei, Lucas Siqueira e Élton Arábia (Edson Cariús); Alisson Farias, Willie (Daniel) e Léo Ceará. Técnico: Marcelo Cabo.

FIGUEIRENSE

Pegorari; Luis Ricardo, Alemão, Pereira e Conrado; Patrick, Tony e Fellipe Mateus; Victor Guilherme (Robertinho), Breno (Héliton) e Rafael Marques (Andrigo). Técnico: Pintado

CARTÕES AMARELOS: Léo Ceará e Wellington Carvalho (C). Alemão, Luís Ricardo, Patrick e Tony (F).

ARBITRAGEM: Rodrigo Batista Raposo, auxiliado por Ciro Chaban Junqueira e Luciano Benevides de Sousa (trio do DF).

BORDERÔ: não informado.

LOCAL: Rei Pelé, em Maceió (AL).

Leia mais notícias e opiniões sobre o Figueirense no NSC Total.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Esportes

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade