nsc
dc

publicidade

Brasileiro

Figueirense vence a Ponte Preta e deixa Z4 da Série B 2019 

Derrota do Londrina para o Criciúma ajuda e Figueira sai da zona de rebaixamento

12/11/2019 - 23h22 - Atualizada em: 12/11/2019 - 23h37

Compartilhe

João Lucas
Por João Lucas Cardoso
Ponte Preta 1 x 3 Figueirense, e Furacão fora do Z4 da Série B 2019
Ponte Preta 1 x 3 Figueirense, e Furacão fora do Z4 da Série B 2019
(Foto: )

O Figueirense venceu por 3 a 1 a Ponte Preta nesta terça-feira e deixou a zona de rebaixamento da Série B 2019. O Figueirense passou 15 rodadas dentro do Z4 e saiu da área de degola com três rodadas antes do fim da competição.

Além do triunfo, o Furacão foi beneficiado pela derrota do Londrina para o Criciúma, no Sul de Santa Catarina. O time paranaense entrou na zona de rebaixamento

Na próxima rodada, o Figueirense vai enfrentar o Cuiabá às 18h30min de domingo. O jogo no Orlando Scarpelli marca o encontro com o adversário no jogo do W.O alvinegro na Série B 2019. A Ponte, sem aspirações na competição, encara o CRB fora de casa, às 16h30min de sábado.

O jogo

Passada a primeira volta do ponteiro, o Figueirense estava na frente do placar. Luis Ricardo apareceu na frente e botou para Rafael Marques, na mesma linha da defesa. A zaga saiu pedindo impedimento e o camisa 9 ficou na cara do goleiro para bater na saída dele a balançar as redes. Um minuto, Figueira 1 a 0.

O resultado parcial deixava o Furacão fora da zona do rebaixamento, ainda mais depois do Londrina sofrer um gol em Criciúma. O Figueirense tentou controlar o resultado. Deu a bola para a Ponte mas não permitia que a equipe da casa causasse perigo. Isso foi até os 27. Foi quando Conrado travou Marquinhos com falta dentro da área, no entendimento do árbitro Gilberto Rodrigues Castro Júnior.

Pênalti que Roger bateu e converteu. Bola num canto, goleiro no outro e tudo igual. No lance seguinte, o Figueirense se safou de sofrer a virada. Em confusão dentro da área catarinense, Araos acertou o travessão e no rebote cabeceou para a grande defesa de Pegorari. Mesmo com o empate parcial, o Figueira ficava de fora da zona de rebaixamento por causa da vitória do Criciúma sobre o Londrina, que jogavam no mesmo horário.

O Figueirense se refez do susto, não foi mais atacado e o primeiro tempo terminou em igualdade. Sem mudanças, os times voltaram mais abertos. O Figueira obrigou Ygor Vinhas a se esticar todo para desviar fora a paulada de Jefferson Renan que ia no ângulo. Sem produzir outro lance de perigo, o Furacão mudou. Andrigo entrou no lugar de Breno, que vinha bem no jogo, aos 14.

Seis minutos depois, Fellipe Mateus mandou bala contra o gol pontepretano e o goleiro conteve em dois tempos. O Figueirense seguiu em cima e conseguiu retomar a dianteira do placar. Foi aos 23: a defesa da Ponte afastou mal e Fellipe Mateus rolou pro meio. Andrigo chutou em cima de Camilo, mas a bola passou e só parou ao se unir ao barbante. Com a vantagem, o Figueira se trancou. Pereira entrou na vaga de Patrick para fortalecer a defesa catarinense.

A Ponte aumentou o volume nos instantes finais, mas o Figueirense conseguiu fazer valer a espera pelo contra-ataque e aumentou. Aos 41, Victor Guilherme, que havia acabado de entrar no jogo, recebeu na frente, foi na cara do goleiro e mandou forte para aumentar e decretar a vitória por 3 a 1 a saída da zona de rebaixamento.

Nos acréscimos, a Ponte Preta chegou a diminuir. João Carlos chutou de fora da área, a bola bateu no travessão e quicou fora e entrou. Pegorari, do lado de fora da trave, caído para tentar a defesa, espalmou fora de campo. A arbitragem viu o lance como normal e não deu o gol para a equipe da casa.

Ponte Preta 1 x 3 Figueirense

PONTE PRETA

Ygor Vinhas; Edílson, Renan Fonseca, Henrique Trevisan e Guilherme Guedes; Washington (Vinícius Zanocelo), Camilo, Renato Cajá (Marcondele) e Marquinhos (João Carlos); Araos e Roger. Técnico: Gilson Kleina.

FIGUEIRENSE

Pegorari; Luís Ricardo, Alemão, Ruan Renato e Conrado; Patrick (Pereira), Betinho e Fellipe Mateus; Breno (Andrigo), Jefferson Renan (Victor Guilherme) e Rafael Marques. Técnico: Pintado.

GOLS: Roger, aos 29 do primeiro tempo (P), Rafael Marques, a 1 do primeiro tempo, Andrigo, aos 23 do segundo tempo, e Victor Guilherme, aos 41 do segundo tempo (F).

CARTÕES AMARELOS: Marquinhos e Roger (P). Alemão, Betinho, Luís Ricardo e Ruan Renato(F).

ARBITRAGEM: Gilberto Rodrigues Castro Júnior, auxiliado por Clóvis Amaral da Silva e Bruno Cesar Chaves Vieira (trio de PE).

BORDERÔ: 1.715 torcedores para renda de R$ 17.095.

LOCAL: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Leia mais notícias e opiniões sobre o Figueirense no NSC Total.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Esportes

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade