nsc
an

Crime passional

Filha acordou com tiros e encontrou corpos após pai matar a mãe em Araquari

Homem assassinou a esposa e se matou em seguida na madrugada desta sexta-feira

30/07/2021 - 14h59 - Atualizada em: 30/07/2021 - 15h03

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Arma usada pelo marido para matar a esposa em Araquari
Arma usada pelo marido para matar a esposa em Araquari
(Foto: )

A filha do casal Beatriz e Nelson de Souza foi quem encontrou os corpos dos pais na madrugada desta sexta-feira (30), em Araquari. O homem assassinou a esposa a tiros e, na sequência, tirou a própria vida dentro do quarto, em uma casa do bairro Itinga.

> Quem era a mulher morta a tiros pelo marido em Araquari

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Segundo o delegado responsável pela investigação, Eduardo de Mendonça, a filha dormia no cômodo ao lado e acordou com o barulho dos tiros. Ela levantou e foi até o quarto dos pais, que estava trancado. Ao arrombar a porta, encontrou o casal morto.

Mendonça conta que a jovem tem 22 anos e ligou para a polícia assim que viu a cena do crime. Na sequência, ainda telefonou para um tia que mora na mesma rua. Ela e o filho foram até o local para ajudar a jovem, que estava muito abalada.

- Tentamos falar com a filha hoje pela manhã, mas ela não estava em condições. Vamos começar a fazer as oitivas, mas esperar um pouco para passar o abalo da família para ouví-los - conta o delegado.

Polícia trata caso como crime passional

Um revólver calibre .38 foi encontrado caído ao lado dos corpos, com quatro munições deflagradas. A Polícia Civil trata o caso, inicialmente, como crime passional. A investigação agora busca entender o que motivou o homem a cometer o assassinato.

- A princípio, era um casal tranquilo, sem passagens pela polícia ou qualquer registro de violência doméstica na polícia de Santa Catarina. Ainda precisamos apurar se tinha algum histórico no Paraná - detalha Mendonça.

A polícia vai ouvir familiares e vizinhos, além de apreender aparelhos celulares e qualquer objeto da casa que possa ajudar a entender a motivação do crime. Os corpos também passarão por perícia e exames toxicológicos.

O delegado tem prazo inicial de 30 dias para terminar o inquérito, mas acredita que ele pode ser concluído com antecedência.

Leia também:

Grupo sofre ataques racistas durante reunião online em São Francisco do Sul

Venda de remédios para aborto é alvo de operação da polícia em Joinville

Colunistas