nsc

Serviço

Florianópolis pode ampliar Zona Azul para bairros e balneários

Serviço voltou a operar após quase um ano de suspensão

24/08/2020 - 11h06 - Atualizada em: 24/08/2020 - 11h17

Compartilhe

Juliana
Por Juliana Gomes
Zona Azul voltou a operar nesta segunda
Zona Azul voltou a operar nesta segunda
(Foto: )

A Zona Azul voltou a operar em Florianópolis nesta segunda-feira (24) após a contratação emergencial de uma empresa para operação do serviço. Durante os seis meses de vigência desse contrato, a prefeitura formata o edital que definirá a prestadora do serviço em caráter efetivo. O município estuda ampliar a Zona Azul para outros bairros da capital, conforme o secretário de Mobilidade Urbana da capital Michel Mittmann.

A Zona Azul estava suspensa desde setembro depois que a prefeitura rompeu o contrato com a empresa Dom Parking. Quem ainda tem créditos adquiridos essa empresa pode utilizá-los agora, conforme Mittmann.

- A gente tem mais de R$ 2 milhões em créditos antecipados que a empresa recebeu e hoje estão disponibilizados para mais de 230 mil usuários. Já tentamos várias vezes (receber esse recurso) com a empresa anterior, então as vias judiciais estão sendo adotadas – explicou o secretário em entrevista no Notícia na Manhã.

Ouça entrevista:

Conforme o secretário, o contrato emergencial foi feito para prestação do serviço no período em que o Tribunal de Contas do Estado avalia os termos do edital que definirá a empresa prestadora do serviço em caráter definitivo.

Os valores cobrados para estacionar continuam os mesmos, R$2 para carro e R$ 1 para moto. A permanência máxima na vaga é de duas horas. A Zona Azul dispõe de 2,4 mil vagas no Centro da capital. O funcionamento é de segunda a sexta das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 12h.

>Como Florianópolis vai se preparar para o verão com coronavírus

Segundo o secretário, no edital que está em formatação, a prefeitura estuda estender a zona azul para os bairros.

- A gente está usando esse período emergencial para modelar um contrato de concessão maior, com mais segurança do que o que rodou com a Dom Parking, aí incluindo a cidade toda. Não estou dizendo que todos os bairros vão pagar R$ 2, vai ser feita uma gestão de tarifa diferenciada, incluindo principalmente balneários. Então, a sazonalidade vai ter que ser alvo desse eventual contrato e concessão – afirmou.

Colunistas