A Seleção Brasileira de Futsal voltou há poucos dias da Lituânia, onde disputou a Copa do Mundo FIFA da modalidade e terminou na terceira colocação. Após nove anos o time verde e amarelo voltou a pegar um pódio em um Mundial, o que coroou um ciclo de preparação que foi bastante dificultoso, pela pandemia e também pela falta de organização da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS). Técnico da Seleção Brasileira, o joinvilense Marquinhos Xavier (que nasceu em Lages, mas veio ainda muito cedo para Joinville), disse nesta segunda-feira (11), em entrevista para a CBN Joinville, que não há lamentação pelo terceiro lugar conquistado na Copa, mas sim que há de se rever a forma como o grupo chegou para a disputa do Mundial.

Continua depois da publicidade

— Eu não acho que tenha faltado alguma coisa, o que a gente lamenta é que a gente não tenha se preparado adequadamente — comentou.

> Receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O selecionado brasileiro ficou desde janeiro de 2020 sem treinar junto. A pandemia adiou diversas vezes a programação da Seleção, mas também a falta de gestão contribuiu. Segundo o comandante da seleção, o talento dos jogadores do Brasil é evidente, mas isso precisa ser trabalhado e estruturado. Seja com espaços adequados de treinamento, seja com logísticas pensadas estrategicamente, seja com respeito aos profissionais envolvidos, sejam eles jogadores, membros da comissão técnica ou staff.

— O Brasil ainda se vale muito daquele ‘ah nós temos os melhores jogadores, isso é suficiente’, não, não é suficiente — frisou Xavier.

Continua depois da publicidade

A falta de gestão da CBFS na Seleção foi tamanha, que desde o primeiro semestre deste ano as seleções de futsal (masculina e feminina), foram realocadas para o guarda-chuva da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A Copa do Mundo da Lituânia foi o primeiro grande evento em que a delegação pôde usufruir da estrutura da CBF, como a Granja Comary, a rede de academias e outros equipamentos.

Ainda de acordo com Marquinhos Xavier, é preciso pensar em programação estratégica para que o trabalho tenha um ciclo completo, com treinos e preparação adequada. Ele chegou a fazer um comparativo entre um time de ponta do Brasil com um time que disputa jogos amistosos, as chamadas “peladas”. 

E por falar em ciclo completo, o treinador admitiu que ainda não sabe se vai seguir a frente da Seleção na preparação visando a próxima Copa do Mundo de Futsal, que será realizada em 2024. Nos próximos dias ele vai se reunir no Rio de Janeiro com representantes da CBF e definir o futuro.

— Se for pra gente realmente trabalhar de forma séria, pode ser que a gente encaminhe o próximo ciclo, do contrário, é melhor cada um seguir seus passos e ninguém perturba ninguém — comentou.

Continua depois da publicidade

Abaixo você confere, na íntegra, a entrevista do técnico Marquinhos Xavier ao programa CBN Mais, com Jota Deschamps e Fernando Gonçalves. O programa vai ao ar de segunda a sexta, das 11h ao meio-dia, na CBN Joinville.

Destaques do NSC Total