nsc
    dc

    Cornavírus

    Governo de SC lança plano de vacinação contra Covid e reforça alinhamento com Ministério da Saúde

    Como o DC antecipou nesta terça, estimativa é vacinar 2,8 milhões de pessoas nas primeiras fases da campanha

    16/12/2020 - 12h40 - Atualizada em: 16/12/2020 - 13h42

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Vacina coronavírus
    Plano afirma que governo adotará vacina do Ministério da Saúde
    (Foto: )

    O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) lançou nesta quarta-feira (16) o plano estadual de vacinação contra o coronavírus e reforçou que o Estado estará alinhado às diretrizes do Ministério da Saúde. A divulgação do documento foi feita pouco depois de governador participar do evento de lançamento do plano nacional, ocorrido em Brasília.

    > Governo de SC estima vacinar menos de 40% da população em 2021

    Conforme antecipou nesta terça (15) o Diário Catarinense, o plano do governo estadual estima inicialmente a vacinação de 2,8 milhões de pessoas, pertencentes a quatro grupos prioritários definidos pelo governo federal (confira os grupos abaixo). O número equivale a 38,6% da população do Estado, hoje em 7,2 milhões de habitantes.

    O plano divulgado pelo governo não cita estimativa de prazos, e afirma que a vacinação dos grupos prioritários ocorrerá “num primeiro momento”. No entanto, em entrevista ao DC nesta terça, a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Raquel Ribeiro Bittencourt, disse que a previsão da pasta é de que a vacinação dos quatro grupos seja realizada ao longo de 2021.

    O documento do governo estadual também não cita quais vacinas serão aplicadas, pois o Estado informou que deve usar as que forem disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. Até o momento, não há imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e o governo federal diz que o cronograma de vacinação depende da aprovação de um imunizante pela Anvisa.

    > Governo federal apresenta plano de vacinação contra a Covid, mas não detalha datas

    — Estamos trabalhando em questões como insumos, como as seringas e agulhas, reforçando a nossa rede de frios para garantir o armazenamento, assim como a ampliação da rede elétrica e das salas de vacinação. Também estamos expandindo nosso quadro de vacinadores. Vamos fazer a nossa parte, que é preparar a oferta de cobertura vacinal para a população. Reforçamos também o alinhamento com o Governo Federal, por meio do Programa Nacional de Imunização, cuja eficácia é mundialmente reconhecida — declarou o governador Carlos Moisés.

    Por outro lado, o plano de vacinação de SC também cita que “em caso de necessidade, será avaliada a possibilidade de aquisição direta de vacinas de fabricantes com registros devidamente aprovados e validados pela Anvisa.”

    > É impossível que vacina cause alterações genéticas, dizem especialistas

    Na última segunda (14), o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, e a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Raquel Ribeiro Bittencourt, participaram de reunião com representantes da fabricante Sinovac, reponsável pela vacina Coronavac. Segundo a SES, o governo trabalha com a possibilidade de comprar doses do imunizante diretamente da fabricante.

    O governo catarinense já informou ter reservado R$ 300 milhões, suficientes para comprar cinco milhões de doses, se necessário.

    Fases de vacinação

    Segundo o cronograma do governo do Estado, a vacinação dos grupos prioritários será em quatro fases, assim como orienta o Ministério da Saúde.

    - Primeiro devem ser vacinados os trabalhadores da saúde, a população idosa a partir dos 75 anos de idade, as pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e a população indígena. O grupo é formado por 426.678 de pessoas, estima o governo.

    - Na segunda fase, a previsão é de que serão vacinadas pessoas de 60 a 74 anos. A população estimada para essa fase é de 844.644 pessoas.

    - No terceiro momento, a imunização será em pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença, entre os quais portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares. Este grupo soma 1.365.028 pessoas, na estimativa do governo.

    - Na quarta e última fase, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional estão incluídos. O grupo é estimado em 166.289 de pessoas.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas